Polícia

‘Zebedeu’ do PCC que contratou pistoleiro para matar traficante é condenado a 14 anos

Ele responde por homicídio qualificado

Renata Portela Publicado em 22/06/2021, às 15h16

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - (Arquivo, Midiamax)

Foi a júri popular nesta terça-feira (22) Diego Macedo Juiz, de 34 anos, o ‘Zebedeu’, acusado do homicídio de Marcos Daniel Medina em 11 de julho de 2015, na região de Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande. Na época, ele era vinculado ao PCC(Primeiro Comando da Capital), e agora faria parte de facção rival.

O conselho de sentença definiu que Diego deveria responder pelo homicídio doloso, qualificado pela dissimulação. Assim, conforme sentença assinada pelo juiz Carlos Alberto Garcete, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, que presidiu a sessão, Diego foi condenado a 14 anos de reclusão em regime fechado.

Também foi decretada a prisão preventiva do réu, para garantia da ordem pública e para assegurar a aplicação da lei penal. Conforme a sentença, Diego declarou que era membro do PCC e que atualmente estaria vinculado ao Comando Vermelho. Para o magistrado, isso indica que, se solto, ele poderá fugir.

Entenda o caso

Conforme a denúncia do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), Diego desempenhava função de disciplina do PCC na fronteira com o Paraguai. Por conta de um desacerto com a facção, foi decidido que Marcos Daniel deveria ser assassinado. Por este motivo, o réu contratou a vítima para fazer transporte de drogas, como forma de atraí-la para uma emboscada.

Ele ofereceu R$ 3 mil a Marcos e combinou de se encontrarem em uma estrada vicinal na Colônia Portera Ortiz, entre Pedro Juan Caballero e Ponta Porã. Diego chamou Américo, pistoleiro conhecido da região e lhe forneceu transporte para a execução. Quando eles chegaram ao local combinado, encontraram com a vítima que os esperava. Américo então a matou com 13 tiros de pistola.

Antes da denúncia ser apresentada, Américo foi assassinado e esquartejadoem Ponta Porã.

Jornal Midiamax