Polícia

Suspeitos deviam R$ 8 mil para garagista de Campo Grande, mas alegam trabalhar com ele

Um homem foi preso com documento falso comprado há poucos dias

Renata Portela Publicado em 06/12/2021, às 07h39

Garagista está desaparecido desde o dia 30
Garagista está desaparecido desde o dia 30 - (Divulgação)

Detido em flagrante no último sábado (4), durante as investigações do desaparecimento de Carlos Reis Medeiros de Jesus, o ‘Alma’, de 52 anos, homem de 33 anos revelou que devia R$ 3 mil para a vítima. Além dele, outro suspeito estaria devendo aproximadamente R$ 5 mil, mas eles alegaram que não tinham envolvimento com o sumiço de Carlos.

Preso em flagrante, o homem confessou que conhecia Carlos e alegou que ele era um agiota forte em Campo Grande. Ele ainda revelou que tinha uma dívida de R$ 3 mil com Carlos, mas que o valor seria irrisório, comparado a outros empréstimos que a vítima faz.

Ainda segundo o suspeito, o colega que estava no carro na abordagem também devia a Carlos, aproximadamente R$ 5 mil. No entanto, tanto ele quanto o outro ocupante do veículo, que não foram presos por não terem nada ilícito contra eles, trabalhavam nas vendas dos carros de Carlos.

Assim, eles estariam ‘perdendo dinheiro’ com o desaparecimento de Carlos, já que ganhavam comissão na revenda dos veículos do garagista. O caso segue em investigação e os suspeitos afirmam que não têm envolvimento com o desaparecimento do empresário.

Prisão em flagrante

Os suspeitos foram abordados por equipe do Batalhão de Choque, que já tinha identificação dos homens que poderiam ter participado de um possível assassinato de Carlos, que está desaparecido há quase uma semana. O grupo estava em uma Parati, na região das Moreninhas, e estaria fugindo da cidade.

O carro era conduzido por uma mulher e estavam no veículo o marido e outros dois homens, sendo que um deles usava um documento falso. Ele acabou preso em flagrante pelo crime e confessou que comprou o documento no camelódromo há cerca de quatro dias.

Ele contou que comprou o documento, pois tinha dois mandados de prisão em aberto no Acre, por isso acabou detido. A mulher foi liberada e os outros envolvidos foram levados para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Cepol, onde prestaram depoimento.

Visto na Guaicurus

Vídeo de câmera de segurança mostra o garagista, às 9h50, na calçada da Avenida Guaicurus com um homem conhecido, conversando. Esta teria sido a última imagem do empresário, que segue desaparecido. Equipes policiais fazem buscas por Carlos desde a notícia do sumiço.

Segundo familiar de Carlos, a esposa chegou a trocar as fechaduras da casa após o desaparecimento do garagista. A camionete S10 do empresário foi encontrada trancada em um terreno. Após o sumiço, o filho chegou a postar nas redes sociais pedidos de ajuda para quem tivesse informação do pai.

Jornal Midiamax