Polícia

Servidor cedido que tentou beijar 7 em órgão público de MS é indiciado por importunação

Durante seu depoimento na delegacia, o servidor negou os crimes

Thatiana Melo Publicado em 01/10/2021, às 12h04

None
Caso foi registrado na delegacia do município - (Foto: MS Todo Dia)

O servidor cedido ao Detran (Departamento Estadual de Trânsito) em Paraíso das Águas, a 277 quilômetros de Campo Grande, foi indiciado pelo crime de importunação sexual, depois de ser acusado de tentar agarrar e beijar mulheres durante o horário de expediente.

O delegado que estava à frente do caso, Felipe Machado Potter, disse ao Jornal Midiamax que sete vítimas foram ouvidas durante a investigação, assim como o servidor que negou as acusações. O inquérito foi finalizado e o autor indiciado por importunação sexual, que prevê pena de 1 a 5 anos de prisão.

O prefeito da cidade, Anízio Andrade (DEM), disse que nenhuma medida havia sido tomada, como a instauração de um PAD (Procedimento Administrativo), visto que estava esperando pelas investigações da Polícia Civil, como também do Detran, já que o servidor estava cedido para o órgão. 

Na época, o prefeito Anízio Andrade (DEM) disse ao Jornal Midiamaxque não sabia os motivos pelos quais o servidor municipal, com cargo original de vigilante, foi cedido ao Detran. Segundo ele, o homem atua no departamento desde o mandato da gestão anterior. O servidor estava de férias. 

Vítimas

Quatro vítimas, com idades entre 29 e 44 anos, que relataram saber de outras mulheres que também passaram pela mesma situação, procuraram a delegacia de Paraíso das Águas e fizeram a denúncia. 

Segundo elas, o homem é vigilante do município, mas foi cedido ao Detran e trabalha sozinho prestando vários serviços no órgão. O servidor fazia renovação de CNH (Carteira Nacional de Habilitação), vistorias, registro de documentação, entre outros serviços. Ele fazia atendimento individualizado em uma sala, onde praticava os crimes. 

Segundo uma das vítimas, ela foi importunada pelo homem em duas ocasiões, uma há aproximadamente dois anos e outra em março deste ano. Na última situação, a mulher foi ao Detran para fazer alguns procedimentos e, quando estava sozinha na sala com ele, prestes a sair, ele estendeu a mão para cumprimentá-la. Nesse momento, tentou beijar a vítima, que conseguiu se desvencilhar e sair. A vítima acionou o Detran, fez denúncia anônima e expôs o ocorrido.

Em outra situação, uma das mulheres esteve no Detran em abril deste ano. No dia, ela percebeu que o servidor passou várias pessoas na frente dela, em atendimento preferencial, atendendo a vítima por último.

Da mesma forma como relatado pela outra mulher, na hora de ir embora ele tentou beijar a vítima, que também conseguiu sair da sala. Ela percebeu que a situação foi toda planejada pelo acusado.

Jornal Midiamax