Polícia

Sargento que vendia produtos paraguaios para comerciantes do camelódromo é condenado

Na última semana, foi condenado pelo crime de descaminho o sargento da PMMS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul) Pedro Toledo Lourenço. A sentença foi publicada no Diário da Justiça desta terça-feira (9), sobre julgamento de crime que teria sido cometido entre dezembro de 2018 e janeiro de 2019. Conforme a denúncia e o […]

Renata Portela Publicado em 09/02/2021, às 14h43

Caso foi investigado pela Corregedoria da PMMS (Arquivo, Midiamax)
Caso foi investigado pela Corregedoria da PMMS (Arquivo, Midiamax) - Caso foi investigado pela Corregedoria da PMMS (Arquivo, Midiamax)

Na última semana, foi condenado pelo crime de descaminho o sargento da PMMS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul) Pedro Toledo Lourenço. A sentença foi publicada no Diário da Justiça desta terça-feira (9), sobre julgamento de crime que teria sido cometido entre dezembro de 2018 e janeiro de 2019.

Conforme a denúncia e o inquérito, neste período Toledo teria vendido e mantido em depósito, em Campo Grande, mercadoria proveniente do Paraguai. Sendo Policial Militar, ele teria agido totalmente em desacordo com a profissão, que visa coibir esse tipo de conduta.

Ele ainda teria utilizado em proveito próprio e alheio também, no exercício da atividade comercial, mercadoria que teria entrado no Brasil de forma clandestina. Conforme interceptações telefônicas, ele mantinha contato com vários interlocutores e negociava o transporte de caixas que vinham do Paraguai até Campo Grande, onde vendia o material.

Em ligações, foi possível identificar o sargento dizendo que vendia o material para o ‘pessoal do camelódromo’. Investigado pela Corregedoria da PMMS e denunciado, ele foi condenado a 2 anos de reclusão, que devem ser cumpridos inicialmente em regime semiaberto.

Conforme dados do Portal da Transparência de Mato Grosso do Sul, atualmente o servidor recebe do Estado salário de R$ 9.074,75.

Jornal Midiamax