Polícia

Réu na Omertà e esposa são investigados por produzirem material de pedofilia

Eles compartilhavam fotos e vídeos de uma criança

Renata Portela e Danielle Errobidarte Publicado em 07/06/2021, às 16h19

Caso é investigado pela Depca
Caso é investigado pela Depca - (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

A prisão em flagrante de Eliane Benítez Batalha dos Santos, mulher do ex-guarda municipal Marcelo Rios, réu da Omertà, aconteceu após descoberta do esquema de produção de fotos e vídeos com conteúdo de pedofilia. A mulher foi detida em casa, no Portal Caiobá, durante cumprimento de mandado de busca e apreensão nesta segunda-feira (7).

Foi realizada a Operação Acalento pela Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), para cumprimento do mandado contra Eliane. A princípio, o casal passou a ser investigado logo no início da Operação Omertà, após Marcelo Rios ser preso com um arsenal.

No início do inquérito, Eliane não quis dar declarações sobre os fatos. No entanto, após a prisão em flagrante nesta segunda-feira ela alegou que as imagens e vídeos não eram produzidas com intenção ‘pornográfica’. Durante o cumprimento do mandado de busca, os policiais encontraram as imagens em um celular e 4 pen-drives.

O material configurou o crime de armazenamento e compartilhamento do conteúdo pornográfico infantil, previsto no artigo 214 B do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). De acordo com a polícia, as imagens mostram apenas uma criança, um menino. Não foi revelado parentesco com o casal, para preservar a vítima, mas a criança tinha grau de confiança com os acusados.

As imagens podem constituir provas de que o casal produzia as fotos e vídeos. Durante o cumprimento do mandado, uma pessoa estava na casa de Eliane, mas não foi identificado envolvimento no crime. Ela deve passar por audiência de custódia na terça-feira (8), para definir se tem prisão mantida.

Jornal Midiamax