Polícia

Queima de arquivo: encontrado morto na fronteira foi eliminado após matar mulheres em atentado

A ordem era para eliminar apenas ‘Bebeto’

Thatiana Melo Publicado em 17/10/2021, às 16h50

None
(Foto: ABC Color)

Derlis David Sanches Ayala, de 23 anos, encontrado morto em uma estrada vicinal de Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande, na noite de sábado (16), teria sido queima de arquivo.

A morte de Derlis seria por ele assassinar Osmar Vicente Álvarez Grance, vulgo 'Bebeto', alvo do atentado, e outras três mulheres que estavam com ele saindo de uma casa noturna, no dia 9 deste mês. Junto do corpo de Derlis foi encontrado um bilhete onde dizia: “Matei 3 meninas inocentes que fique de exemplo PJ”.

Segundo informações do site ABC Color, a morte de Derlis seria punição já que o grupo de criminosos de Derlis tinha ordem de eliminar, apenas, ‘Bebeto’ e acabou matando outras três pessoas, entre elas, a filha do governador de Amambay. Derlis seria sobrinho de Márcio Ariel Sanches Gimenez, de 33 anos, conhecido como ‘Aguacate’, que é apontado como organizador do atentado. 

Derlis era alvo da polícia e do Ministério Público do Paraguai. Em imagens de câmeras de segurança, ele é visto com o carro usado no ataque que executou quatro pessoas, com mais de 100 tiros. 

Jornal Midiamax