Polícia

Projeto de lei é aprovado e delegacias de MS terão nomes de policiais mortos em serviço

Investigadores foram assassinados por uma testemunha

Renata Portela Publicado em 29/04/2021, às 15h07

Investigadores Jorge e Antônio Marcos morreram em serviço
Investigadores Jorge e Antônio Marcos morreram em serviço - (Divulgação, PCMS)

Na quarta-feira (28), foi aprovado por unanimidade na Alems (Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul) o projeto de lei que homenageia os policiais civis mortos em serviço, dentro de uma viatura, em junho de 2020, em Campo Grande. Assim, duas delegacias passam a ter os nomes de Antônio Marcos Roque da Silva e Jorge Silva dos Santos.

Assim, a Derf (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos), onde os investigadores eram lotados, passa a se chamar Jorge Silva dos Santos, homenagem ao investigador ‘Jorginho’. Já a 1ª Delegacia de Polícia Civil de Coxim ganha o nome de Antônio Marcos Roque da Silva, o ‘Marcão’, que era natural daquele município.

Relembre o caso

Em junho de 2020, os dois policiais transportavam uma testemunha em um carro descaracterizado, durante investigação de furto de joias. Quando o carro estava na Joaquim Murtinho, perto da Fernando Correa, Ozéias Silveiras Morais, de 44 anos, atirou e atingiu os investigadores na cabeça e na nuca.

O criminoso fugiu em seguida e logo tiveram início as buscas. Ozéias acabou morto em confronto na madrugada do dia 10. Os assassinatos comoveram as forças de segurança e policiais prestaram homenagens, lamentando que a Lei de Abuso de Autoridade tenha limitado o trabalho da polícia.

Jornal Midiamax