Polícia

Preso por atirar em policiais no Noroeste já cumpriu pena em SP e tinha passagens por roubo e furto

O mecânico de 44 anos preso neste fim de semana depois de atirar contra populares e policiais militares no bairro Jardim Noroeste em Campo Grande, já havia cumprido pena em presídio de São Paulo e tinha passagens por roubo e furto. A prisão aconteceu por volta das 21 horas de sábado (6), quando os policiais […]

Thatiana Melo Publicado em 08/03/2021, às 10h51

(Henrique Arakaki, Midiamax)
(Henrique Arakaki, Midiamax) - (Henrique Arakaki, Midiamax)

O mecânico de 44 anos preso neste fim de semana depois de atirar contra populares e policiais militares no bairro Jardim Noroeste em Campo Grande, já havia cumprido pena em presídio de São Paulo e tinha passagens por roubo e furto.

A prisão aconteceu por volta das 21 horas de sábado (6), quando os policiais foram chamados para o local depois de um homem ser visto atirando contra populares na rua. Quando os militares chegaram no endereço foram recebidos a tiros pelo mecânico, que disse em depoimento ter feito os disparos ao achar que se tratavam de desafetos dele.

O homem disse já ter passagens pelos crimes de roubo e furto e que já havia cumprido pena na cidade de Botocatu em São Paulo, como também em Campo Grande. O autor anda falou que não sabia que estava atirando contra policiais. O comparsa que estava com ele conseguiu fugir e não foi localizado.

Os tiros aconteceram, na rua Irene Gutierres, um dos suspeitos pegou a arma de fogo que estava no veículo prata e apontou para moradores, ameaçando novamente. As vítimas gritavam pela polícia, então a dupla entrou no veículo e foi de encontro à equipe policial, que fez abordagem. Mesmo assim os suspeitos aceleraram, tentaram atropelar os policiais e ainda atiraram contra os militares.

A equipe revidou os disparos e os suspeitos fugiram com o carro, mas o carona acabou descendo do veículo com a arma em mãos, jogando o revólver no chão. Ele tentou se esconder em residências na região, mas acabou preso em flagrante. Ferido, ele foi levado até o posto de saúde e liberado.

A arma, um revólver calibre 22 foi apreendido e o caso registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro como disparo de arma de fogo, porte ilegal de arma de fogo e tentativa de homicídio, qualificada se praticada contra membro da Segurança Pública.

Jornal Midiamax