Polícia

Preso com munições em operação contra estupradores de crianças tinha passagens pela polícia

Munições foram encontradas escondidas no guarda-roupas da casa do comerciante

Thatiana Melo Publicado em 19/05/2021, às 09h00

None
(Henrique Arakaki, Midiamax)

O comerciante de 49 anos preso nesta terça-feira (18), em Campo Grande, no bairro Parque do Sol durante a Força-tarefa feita pela polícia e MPMS (Ministério Público Estadual) contra estupradores de crianças já havia sido preso anteriormente pelo mesmo crime de posse irregular de armas e munições, mas não chegou a ficar detido, já que na época pagou fiança.

Em depoimento, disse que há 10 anos acabou sendo detido por ter posse de munições e aramas, que estavam em sua casa no guarda-roupas sendo as mesmas encontradas nesta nova prisão durante a deflagração da operação. Foram localizadas munições calibre .635 sendo um total de oito e mais quatro munições .40.

Ele passa por audiência de custódia nesta quarta-feira (19) quando deve ou não ser determinada a sua prisão preventiva. Durante a operação 30 pessoas foram presas. Elas já tinham mandados contra elas.

Foram cumpridos 27 mandados de busca e apreensão e um preso em flagrante por posse de munição. Os alvos estavam nos bairros Canguru, Centenário, Aero Rancho, São Conrado, Santa Emília, Noroeste, Tarumã, Inápolis e Zé Pereira. Um assessor parlamentar também acabou preso, mas o nome não foi revelado.

Na última semana foram presas cerca de 10 pessoas também investigadas na operação. Segundo o promotor Marcos Alex, os presos da operação são pessoas já condenadas pelos crimes contra criança e adolescente, na maior parte de violência sexual. O objetivo é fazer com que comecem a cumprir as penas já impostas a eles. “São condenados por sentença definitiva”, disse.

Jornal Midiamax