Polícia

Operação Fênix: PF cumpre 40 mandados e retira 23 veículos de garagens usadas para lavar dinheiro

Oito mandados de prisão foram cumpridos pela PF e duas pessoas estão foragidas

Danielle Errobidarte Publicado em 17/05/2021, às 17h02

Mandados foram cumpridos em Campo Grande e Ponta Porã.
Mandados foram cumpridos em Campo Grande e Ponta Porã. - (Foto: Marcos Ermínio/ Jornal Midiamax)

A Operação Fênix, deflagrada nesta segunda-feira (17) em Campo Grande e Ponta Porã, cumpriu ao todo 40 mandados – 30 de busca e apreensão e 10 de prisão – contra organização criminosa que usava garagens de veículos para lavagem de dinheiro, oriundo do tráfico internacional de drogas. 20 carros e três motos foram apreendidos, além de R$ 45 mil recuperados.

Oito dos 10 mandados de prisão foram concluídos, e dois alvos continuam foragidos. Pela manhã, três pessoas – uma mulher e dois homens – foram levadas para a sede da Polícia Federal em Campo Grande.

Durante a deflagração da operação, uma garagem de carros na Avenida Bandeirantes foi alvo dos agentes federais, que levaram veículos de luxo e carros populares do local.

Fora apreendias na garagem, na manhã desta segunda (17), um Jeep, um Fiat Uno, Um Fiat Strada e uma moto de luxo. Durante as investigações foram 12 apreensões de carregamentos de entorpecentes, que totalizaram cerca de 21 toneladas de maconha, além de 18 integrantes do grupo criminoso presos em flagrante por tráfico de drogas.

20 carros e 3 motos de luxo foram apreendidos. (Foto: Marcos Ermínio)

Droga do Paraguai

O grupo criminoso era responsável por internacionalizar maconha, a partir da cidade de Pedro Juan Caballero, Paraguai com carregamentos que tinham como destino inicial Campo Grande. Depois a maconha era enviada para outros estados do Brasil. Além disso, a organização criminosa realizava a lavagem de dinheiro com a venda da droga, através do comércio e financiamento de veículos utilizando empresas localizadas em Campo Grande.

Ainda foi apreendida a quantia de R$ 68 mil 546 em espécie durante as abordagens. Os mandados expedidos pela 5ª Vara Federal de Campo Grande buscam confirmar a ligação entre os membros da organização criminosa, reforçar os indícios de lavagem de dinheiro, apreender bens de alto valor e individualizar a conduta de cada agente.

Jornal Midiamax