Polícia

Mulher é ouvida e polícia não descarta motivação passional para execução no Tijuca

A polícia já teria identificado a suposta ‘mulher misteriosa’ com quem Wagner Rocha Carneiro, de 37 anos, teria marcado para se encontrar no dia 9 deste mês quando foi assassinado em casa, no Jardim Tijuca, em Campo Grande. Wagner foi morto com quatro tiros. De acordo com o delegado Giulliano Biaccio da 6º Delegacia de […]

Thatiana Melo Publicado em 18/03/2021, às 10h37 - Atualizado às 16h17

Wagner foi assassinado ao chegar em casa (Foto: Reprodução | Facebook)
Wagner foi assassinado ao chegar em casa (Foto: Reprodução | Facebook) - Wagner foi assassinado ao chegar em casa (Foto: Reprodução | Facebook)

A polícia já teria identificado a suposta ‘mulher misteriosa’ com quem Wagner Rocha Carneiro, de 37 anos, teria marcado para se encontrar no dia 9 deste mês quando foi assassinado em casa, no Jardim Tijuca, em Campo Grande. Wagner foi morto com quatro tiros.

De acordo com o delegado Giulliano Biaccio da 6º Delegacia de Polícia Civil, duas mulheres já prestaram depoimento na manhã desta quinta-feira (18), mas disseram desconhecer qualquer tipo de ameaça que Wagner poderia estar sofrendo. Elas seriam conhecidas da vítima. A suposta ‘mulher misteriosa’ já teria sido identificada, mas ainda não foi chamada para prestar depoimento, “Ainda não sabemos se essa suposta mulher encontrou mesmo com o Wagner no dia do crime, e também não sabemos se ele estava se relacionando com outras mulheres”, disse o delegado.

Ainda de acordo com o delegado não há uma linha de investigação fechada e não há confirmação se o crime estaria ligado ao fato de Wagner emprestar dinheiro a juros. Nenhuma linha de investigação é descartada. Logo após o crime, a casa de Wagner foi invadida e alguns objetos furtados.

Execução

O assassinato aconteceu por volta das 23 horas do dia 9 de março, quando Wagner chegava em casa após sair para encontrar uma suposta mulher. Ele foi morto com pelo menos quatro tiros, que atingiram costas, ombro, pescoço e maxilar.

Foram disparados pelo menos 12 tiros de cima de uma laje de uma construção, que fica ao lado da residência de Wagner, que alugava o espaço para festas. Os tiros foram efetuados de cima para baixo. Vizinhos escutaram os disparos e um deles teria saído para ver o que havia acontecido.

Uma testemunha chegou a pular o portão e encontrou Wagner caído na varanda da casa. O motor do carro ainda estava quente indicando que ele havia acabado de chegar na residência. Ainda segundo informações policiais, ele foi atingido quando estava na calçada, depois de descer e voltar até o portão de casa.

Wagner chegou a correr para dentro da residência, mas caiu na varanda ferido. Familiares disseram à polícia que ele trabalhava com empréstimo de dinheiro e não sabem se estava sofrendo ameaças.

Jornal Midiamax