Polícia

Motorista de BMW que matou enfermeira em acidente se torna réu por homicídio qualificado

Na tarde desta segunda-feira (22), Wilson Benevides de Souza, 30 anos, se tornou réu pelo acidente de trânsito que vitimou a enfermeira Carla Jaqueline Miranda, na noite de 24 de janeiro. Wilson invadiu a contramão da via enquanto fugia da polícia e atingiu a motocicleta em que a vítima estava. O juiz Aluízio Pereira dos […]

Renata Portela Publicado em 22/02/2021, às 17h33

Carla morreu ao ser atingida pela BMW (Divulgação)
Carla morreu ao ser atingida pela BMW (Divulgação) - Carla morreu ao ser atingida pela BMW (Divulgação)

Na tarde desta segunda-feira (22), Wilson Benevides de Souza, 30 anos, se tornou réu pelo acidente de trânsito que vitimou a enfermeira Carla Jaqueline Miranda, na noite de 24 de janeiro. Wilson invadiu a contramão da via enquanto fugia da polícia e atingiu a motocicleta em que a vítima estava.

O juiz Aluízio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri, recebeu a denúncia tornando réu o motorista da BMW que provocou o acidente. Conforme o magistrado, estão presentes na denúncia a materialidade e indícios da autoria. Além disso, o juiz definiu audiência, prevista para ouvir as testemunhas de acusação e defesa e também interrogar o réu.

A primeira audiência deve ocorrer na tarde do dia 29 de março e poderão ocorrer outras, se necessário. A sessão será feita por videoconferência.

Homicídio qualificado

Na denúncia do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), consta que o acidente ocorreu na noite daquele dia 24, no cruzamento da Avenida Prefeito Heráclito Diniz Figueiredo com a Rua Veridiana, no Residencial Estrela do Sul. Wilson, acompanhado de amigos, conduzia a BMW 320i.

No entanto, o motorista não tinha CNH, estava embriagado, em alta velocidade, na contramão, realizando ultrapassagem indevida e colocou em risco número indeterminado de pessoas. Com isso, qualificou o crime de homicídio por meio que possa resultar em perigo comum.

Também por estar em alta velocidade, violando o fluxo da via e atingindo a moto de Carla sem que ela pudesse escapar do acidente, foi incluída qualificadora de meio que dificultou a defesa da vítima. Além disso, como o motorista fugia da Polícia Militar no momento do acidente, por não ter CNH, a denúncia aponta que ele agiu com intenção de assegurar impunidade de outro crime.

Com isso, o réu responde pelo homicídio com as três qualificadoras.

Jornal Midiamax