Polícia

Jurados faltam e julgamento de homem que tentou matar grávida e provocou aborto é adiado

Jovem estava grávida de gêmeos

Renata Portela Publicado em 05/05/2021, às 14h26

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - (Arquivo, Midiamax)

Nesta quarta-feira (5), iria a julgamento por júri popular o réu Gilmar Sales Fernandes, de 34 anos, por tentativa de homicídio cometida em dezembro de 2013. Na ocasião, ele teria esfaqueado e também atirado contra uma jovem de 24 anos, que estava grávida de gêmeos e acabou perdendo os bebês.

Conforme o registro da audiência, o júri seria presidido pelo juiz Aluizio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri. Como apenas 12 jurados compareceram, não totalizando o quórum mínimo, o julgamento foi cancelado e deve ser remarcado.

Relembre o caso

Conforme a denúncia do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), naquele dia 31 de dezembro de 2013, Gilmar teria esfaqueado e também atirado contra a jovem de 24 anos, que na época estava grávida de gêmeos, prestes a completar o quarto mês de gestação. O fato aconteceu na Mata do Jacinto, em Campo Grande.

A vítima estava na casa de um amigo e, assim que saiu, foi abordada por Gilmar, que a abraçou. No momento do abraço ele deu várias facadas na vítima e ainda atirou na jovem, que foi socorrida e levada ao hospital. Grávida, ela acabou perdendo os bebês.

Foi constatado que o crime aconteceu por motivo fútil, já que o autor estaria vingando uma cobrança que a vítima fez ao pai dele, por uma dívida de drogas. A acusação entendeu que o acusado agiu com dolo eventual e assumiu o risco de provocar o abordo dos dois fetos.

Jornal Midiamax