Polícia

Juiz aguarda alegações finais de policial investigado por desvios de verba para abastecimento

Escrivão passava o cartão do Estado, mas não abastecia e pegava o dinheiro

Renan Nucci Publicado em 23/10/2021, às 15h31

None
Divulgação

O juiz Ariovaldo Nantes Corrêa, da 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande, determinou que o escrivão da Polícia Civil acusado de improbidade administrativa, em razão do desvio de verbas para abastecimento de viaturas, apresente alegações finais no prazo de 15 dias. O ato é um último antes que o processo seja concluído para sentença.

Consta em denúncia oferecida pelo MPMS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul), que o escrivão, valendo-se da função de gestor de frota de sua unidade na Polícia Civil, utilizou de forma indevida cartões de abastecimento entre os anos de 2015 e 2016. Ou seja, ele passava o cartão em postos, mas não abastecia e pegava o valor em dinheiro. A conta era paga pelo Estado.

As informações são de que o mesmo chegou a usar o cartão de uma delegada, sua superior, para perpetrar as ações sem que a mesma soubesse. Tudo era feito, obviamente, sem autorização. Além da fraude, ele também adulterou o hodômetro dos veículos para não levantar suspeitas e continuar na prática delitiva.

“Por meio das investigações, restou demonstrado que o requerido realizou inúmeros abastecimentos, desde junho de 2015 a fevereiro de 2016, sendo que principalmente nos meses de janeiro e fevereiro de 2016 os valores eram altíssimos se comparados aos meses anteriores. Além do mais, ocorriam abastecimentos de viaturas 'baixadas' para conserto; duas 'tanqueadas' no mesmo dia do mesmo veículo e/ou comparecimento cerca de três vezes por dia aos postos de combustíveis”, lê-se na peça acusatória.

Assim, após despacho publicado no último dia 20 de outubro, o juiz determinou que, caso tenha interesse, o investigado deve apresentar suas alegações finais para que o procedimento seja encaminhado para julgamento.

Jornal Midiamax