Polícia

Guarda municipal é demitido dois anos após condenação por tráfico de drogas

O guarda municipal Atoapes Dias Martins, de Dourados, cidade a 225 quilômetros de Campo Grande, teve a demissão comunicada no extrato de processo administrativo disciplinar, expedido pelo gabinete do prefeito Alan Guedes (PP). O guarda está preso desde 2018 e foi condenado no ano seguinte, por tráfico de drogas. Atoapes era servidor desde agosto de […]

Renata Portela Publicado em 04/03/2021, às 16h48

Guarda foi preso em São Paulo (Foto: Dourados News)
Guarda foi preso em São Paulo (Foto: Dourados News) - Guarda foi preso em São Paulo (Foto: Dourados News)

O guarda municipal Atoapes Dias Martins, de Dourados, cidade a 225 quilômetros de Campo Grande, teve a demissão comunicada no extrato de processo administrativo disciplinar, expedido pelo gabinete do prefeito Alan Guedes (PP). O guarda está preso desde 2018 e foi condenado no ano seguinte, por tráfico de drogas.

Atoapes era servidor desde agosto de 2000 e foi preso em São Paulo por tráfico de drogas em 2018. Em maio de 2020, ele chegou a ser suspenso por 30 dias e foi a julgamento a aplicação da pena de demissão. O guarda municipal foi condenado por traficar drogas de Dourados até São Paulo, onde acabou preso em flagrante em agosto de 2018.

Conforme o site 94 FM, Atoapes e outros três réus foram condenados cumprirem pena de 8 anos e 2 meses de reclusão por tráfico e mais 3 anos e 6 meses de reclusão por associação criminosa, totalizando 11 anos e 8 meses de reclusão, em regime fechado.

Em recurso julgado no dia 24 de junho de 2020, a 6ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo rejeitou reverter a condenação dos réus, conforme despacho assinado pelo desembargador relator Machado de Andrade. Mesmo preso no Centro de Detenção Provisória de Pinheiros III, o guarda municipal consta no portal da transparência do município como ativo, com salário bruto de R$ 11.382,54 na folha de fevereiro de 2021.

Jornal Midiamax