Polícia

‘Foi um terror’: empresário relembra pânico ao ver esposa ser sequestrada em Campo Grande

Ao menos quatro bandidos participaram do roubo

Renata Portela e Dândara Genelhú Publicado em 19/09/2021, às 11h36

Morador contou que viveu momentos de terror
Morador contou que viveu momentos de terror - (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)

Empresário de 61 anos, morador na Vila Antônio Vendas, em Campo Grande, relatou ao Midiamax o terror que viveu entre a noite de sábado (18) e madrugada deste domingo (19) após ter a esposa, de 50 anos, sequestrada durante roubo. “Foi um terror, eles eram bastante agressivos”, lembra a vítima que chegou a pagar R$ 18 mil pelo resgate da mulher.

Segundo relato do empresário, ele estava no quarto da residência por volta das 20h30, quando o bandido entrou, já com a esposa rendida, apontando uma arma para a cabeça dela. “Ele mandou eu ficar com a cara no chão e perguntou se eu tinha arma, se tinha cofres”, contou. A vítima então disse que tinha joias e os bandidos começaram a pegar alguns pertences.

“Aqui tem movimento de guardas na rua. Acho que um deles viu e ainda disse ‘tem segurança aí fora’. Eles entraram em pânico”, disse. Ainda segundo o empresário, ele estava deitado no chão, junto com a filha, de 21 anos. Foi neste momento que os bandidos desceram e entraram no carro da mulher, um Audi Q3.

Ainda segundo o empresário, ele achou que os bandidos levariam pertences no veículo, quando percebeu que eles estavam sequestrando a mulher. “Eu entrei em pânico”, disse. Depois, os bandidos começaram a telefonar para o celular da vítima, exigindo R$ 50 mil de resgate. Sem ter como sacar o valor, o empresário ainda conta que pegou alguns cartões e conseguiu R$ 18 mil.

Pagamento e resgate

“Saquei o dinheiro e entreguei do jeito que eles pediram”, lembra. Ainda segundo o empresário, além dos dois bandidos que entraram na casa, outros dois já aguardavam no cativeiro onde a esposa foi levada. Após a negociação, durante a entrega do valor, o empresário lembra que esteve o tempo todo em contato com o bandido pelo telefone.

“Ele era bem agressivo. Disse que se a polícia chegasse perto ia dar um tiro na cabeça da minha mulher”. Após a entrega do valor, os bandidos disseram que libertariam a vítima aproximadamente uma hora depois. Ela foi deixada no Tiradentes e a partir daí equipes da Polícia Civil e Polícia Militar foram acionadas.

Com ajuda da própria vítima, o cativeiro foi localizado e também o carro da mulher, o Audi Q3, que foi abandonado. O empresário relatou ao Midiamax que os bandidos jogaram fora a bolsa da mulher com alguns pertences e acabaram jogando também a chave. Assim, quando estacionaram no local do cativeiro, não conseguiram mais ligar o veículo.

A suspeita é de que o bando levaria o carro ao Paraguai. “Foi um terror. Colocaram capuz na minha esposa, amarraram as mãos e pés dela. Abandonaram ela já quase meia-noite. Mas ela estava bastante calma”, contou o marido da vítima. Ainda segundo ele, o veículo foi periciado ainda durante a madrugada, levando à identificação de um dos suspeitos.

“Eu só tenho que agradecer à polícia. Foram bem ágeis. E também a Deus, porque livrou minha esposa. Foi a fé dela”, contou. Conforme o empresário, a esposa manteve a calma a todo momento, mesmo com a agressividade dos bandidos. “O que importa é a vida, o restante é material. Dou graças a deus que não machucaram ela, nem fizeram nada demais”, disse.

“Ela é uma mulher de muita fé, de fé inabalável”, finalizou. Segundo o empresário, a filha ficou bastante abalada com o ocorrido. Morador na região há mais de 20 anos, ele conta que nunca passou por algo parecido.

Jornal Midiamax