Polícia

Ex que matou mulher na frente dos filhos passará por exame de insanidade mental

Foi autorizada pela Justiça o exame de insanidade mental em Sérgio Silva Vergínio de 32 anos, quem matou a ex-namorada Valéria Ribeiro de 30 anos na frente dos filhos, em Paranaíba a 407 quilômetros de Campo Grande. O crime aconteceu no dia 14 de maio de 2020. Foi feito o pedido de autorização de exame […]

Thatiana Melo Publicado em 06/01/2021, às 10h57 - Atualizado às 15h55

(Arquivo)
(Arquivo) - (Arquivo)

Foi autorizada pela Justiça o exame de insanidade mental em Sérgio Silva Vergínio de 32 anos, quem matou a ex-namorada Valéria Ribeiro de 30 anos na frente dos filhos, em Paranaíba a 407 quilômetros de Campo Grande. O crime aconteceu no dia 14 de maio de 2020.

Foi feito o pedido de autorização de exame de insanidade a Justiça em novembro de 2020, sendo depois autorizado já que a defesa alega que Sérgio sofria de depressão grave o que o deixava violento e agressivo. A delegada que cuidou do caso em depoimento ao Ministério Público relatou sobre a oitiva de Sérgio.

A delegada Eva Maria Cogo da Silva, disse que durante o depoimento do autor, ele teria relatado que estava depressivo por estar endividado, já que comprava muitas coisas para Valéria. Eva ainda disse que quando chegou na casa onde havia acontecido o feminicidio encontrou uma das crianças, filha do casal, em estado de choque e a outra filha de Valéria em estado de choque.

Ex que matou mulher na frente dos filhos passará por exame de insanidade mental

Ainda no depoimento da delegada ao MP, ela diz que de todos os interrogatórios feitos de femincidio aquele (Sérgio) teria sido o que apresentou maior frieza. Ele não teria demonstrado arrependimento, apesar de ter relato isso em sua oitiva.

Valéria foi morta a facadas, em frente a própria filha, cujo desespero foi filmado por vizinhos, que teriam tentado ajudar a menina, no dia 14 de maio. O assassino estava inconformado com o fim do relacionamento, iniciado em outubro de 2019, e – armado – tentou invadir a casa da vítima, quando Valéria chegava de moto, na noite de ontem.

Na época, vizinhos relataram que Sergio chegou a disparar, mas a filha de Valéria conseguiu desarmar o agressor, que teria, então, trancado o portão e entrado na casa para pegar a faca que matou a jovem. Sérgio já havia ainda invadido a casa de Valéria em outra ocasião, depois de pular o muro. Ele teria feito ameaças ao longo de quatro horas, mas a vítima não prestou queixa, limitando-se a elevar a altura do muro.

Após esfaquear Valéria, ele tentou tirar a própria vida. Foi necessário a intervenção da polícia que realizou disparos de arma de fogo ao alto. Os dois então foram encaminhados à Santa Casa, a mulher passou por cirurgia, mas não resistiu e morreu.

Jornal Midiamax