Polícia

Ex-namorado de líder do PSL encontrada morta, advogado é indiciado por feminicídio

Ele será transferido para presídio em Campo Grande

Renata Portela Publicado em 06/05/2021, às 17h21

Advogado está preso pelo feminicídio
Advogado está preso pelo feminicídio - (Foto: Nova News)

O advogado acusado da morte de Fernanda Ribeiro, ex-liderança do PSL em Mato Grosso do Sul, foi indiciado pelo crime de feminicídio. Ele está preso e foi internado novamente no hospital da Cassems em Nova Andradina, a 297 quilômetros de Campo Grande, após passar mal.

A informação do indiciamento foi confirmada pelo delegado responsável pelas investigações, Filipe Davanso Mendonça, de Batayporã, durante coletiva nesta quinta-feira (6). Conforme o site Nova News, também não foi descartada a participação de outras pessoas no crime.

A princípio, mais de 30 pessoas já foram ouvidas informalmente sobre o caso. Formalmente, foram 20 pessoas que prestaram depoimento. O delegado informou que o acusado permaneceu em silêncio durante todo o tempo que esteve na delegacia.

Na manhã desta quinta-feira ele passou mal e foi hospitalizado. O advogado deve ser transferido ao Presídio Militar em Campo Grande.

Feminicídio

Fernanda Ribeiro, que era moradora de Nova Andradina, foi encontrada morta, degolada, na manhã do dia 29 de abril, em uma lavoura nas margens da Rodovia MS-276, em Batayporã. De acordo com as primeiras informações, o corpo tinha sinais de degolamento.

A partir daí foi iniciada a investigação e o advogado, ex-namorado da vítima, acabou preso e encaminhado para a delegacia no domingo (2). Desde então, ele já tinha passado mal outra vez e precisou ser levado ao hospital. Apesar das acusações, ele nega o crime.

Conforme a polícia, análise dos dados do celular do acusado teriam indicado no registro do GPS que ele passou pelo local do crime. O advogado teve pedido de habeas corpus negado.

Jornal Midiamax