Polícia

Acusado de matar degolada ex-líder do PSL é transferido para presídio militar em Campo Grande

Defesa entrou com pedido da revogação da prisão no STJ (Superior Tribunal de Justiça)

Thatiana Melo Publicado em 06/05/2021, às 11h24

None

O advogado acusado de matar degolada a ex-presidente do PSL Fernanda Daniele de Paula Ribeiro dos Santos, de 36 anos, que teve o corpo encontrado em um milharal, as margens da MS-276, entre Batayporã e Nova Andradina será transferido para uma sala de Estado Maior do Presídio Militar de Campo Grande.

Segundo a defesa, o advogado está sendo transferido nesta quinta-feira (6) para o presídio militar da Capital. Após negado o primeiro pedido de revogação de sua prisão pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, a defesa impetrou um novo HC no STJ (Superior Tribunal de Justiça).

De acordo com a defesa, foi alegado que o advogado não tem perfil homicida, e que tem residência fixa, não tem antecedentes de violência, além de ser alegado que a prisão é desnecessária sem justa causa para a sua manutenção.

No relatório da polícia, mostra que o GPS do celular do suspeito registrou movimentações perto da casa da vítima no dia anterior do crime. Também no dia da morte de Fernanda, o suspeito teria passado perto do local onde o corpo foi encontrado, entre 19h30 e 19h40.

No dia do crime, o suspeito teria como álibi imagens de câmeras de segurança de um posto de combustível, que filmam ele abastecendo. Depois, segundo a defesa, ele teria ido para a casa de amigos e então voltado para casa. Para o advogado Júlio César, o que pesa contra o cliente é o fato do relacionamento que ele teve com Fernanda.

Ainda no curso das investigações, é feita perícia no carro do suspeito e vestígios de sangue teriam sido encontrados. O material passa por análise e deve ser comparado ao DNA de Fernanda. O celular do acusado também é periciado.

Jornal Midiamax