Polícia

Devendo para o PCC, preso com maconha avaliada em R$ 730 mil tentava quitar dívida

Rapaz alugou casa para guardar mais de 400 quilos de maconha

Thatiana Melo Publicado em 10/09/2021, às 10h15

None
(Divulgação)

Eduardo Maraca Dias, de 19 anos, preso pelo Batalhão de Choque nesta quinta-feira (9), em uma casa onde guardava 488 quilos de maconha, no Jardim Noroeste, em Campo Grande, tentava quitar uma dívida de R$ 9 mil com a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).

Após denúncias atípicas na casa, os policiais receberam a informação que o local servia de depósito para maconha. Quando chegaram à residência, na rua da Conquista, encontraram o rapaz que confessou que era o guardião da maconha.

Ele disse que ficou preso cumprindo pena por tráfico de drogas e quando encarcerado acabou contraindo uma dívida com faccionados, no valor de R$ 9 mil. Eduardo ainda revelou que havia deixado a prisão há 1 mês e que os membros do PCC acabaram achando ele e cobrando o dinheiro. 

O autor contou que foi obrigado a alugar a residência para guardar a droga, sendo assim uma forma de pagar o que devia. Ele ainda disse que foi ameaçado pelos faccionados, que teriam dito: “Se sumir algo, você vai pagar”.

Quando preso disse receber valor de R$ 2 mil para guardar a maconha para o PCC. Ele passa por audiência de custódia nesta sexta-feira (10). Eduardo se recusou a revelar os nomes dos faccionados por temer pela sua vida. 

Jornal Midiamax