Desde a primeira fase da Operação ‘Deu Zebra’

Enxugando gelo

Jornal Midiamax

‘Cota mínima’

O Jornal Midiamax

Além disso, o cumprimento da ‘cota’ que cada delegacia deve cumprir acaba prejudicando ainda mais o trabalho. Foi solicitado que desdobramentos da operação sejam executados apenas por policiais das delegacias encarregadas pelo inquérito policial.

Disputa pelo controle do jogo do bicho

No dia 8 de novembro, o Jornal Midiamax noticiou que, dentro da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, servidores suspeitam que as ações no âmbito da ‘Deu Zebra’ estariam ligadas à suposta tentativa de interferência na briga pelo controle do jogo do bicho em Campo Grande. O caso resultou em denúncias ao (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) e pedido de afastamento do delegado-geral.

Em meio à crise na diretoria da corporação, Adriano Garcia recebeu 15 dias de férias, até o fim de novembro, sendo substituído pela delegada adjunta Rozeman Geise Rodrigues de Paula. Informações obtidas pelo Midiamax são de que Adriano retornaria das férias já em outro cargo, não mais como delegado-geral, após desgaste sofrido com as recentes denúncias.

Crise na Polícia Civil

Inicialmente, os delegados não se incomodaram por achar que participavam de uma ofensiva concentrada da Polícia Civil contra o jogo do bicho na Capital de MS. Mas, estranharam ao descobrir que as batidas foram organizadas em paralelo à atuação da força-tarefa após delegados supostamente terem mantido sob sigilo informações que investigados teriam tentado acessar através do delegado-geral da PCMS.

“Tirar equipe de uma especializada dos trabalhos cotidianos para isso, isolando os colegas que estavam mais inteirados sobre o assunto é, no mínimo, estranho”, confirmou um delegado à reportagem. Os delegados que integram a força-tarefa não quiseram se manifestar.