Polícia

Com 8 horas de buscas, equipes encontram ossada completa em possível cemitério do PCC

Ossos que podem ser de uma segunda vítima também foram recolhidos

Renata Portela e Danielle Errobidarte Publicado em 05/07/2021, às 17h48

Local onde ossada foi recolhida fica nas margens de córrego
Local onde ossada foi recolhida fica nas margens de córrego - (Foto: Leonardo de França, Midiamax)

Desde aproximadamente 9h30 desta segunda-feira (5), equipes da Polícia Civil, Perícia e Corpo de Bombeiros fazem buscas na região às margens do córrego, na Vila Santo Eugênio. No local, uma ossada de uma pessoa foi encontrada, além de ossos que podem ser de uma segunda vítima.

Conforme apurado no local, uma ossada completa que seria de uma pessoa foi localizada, sendo possível perceber todos os membros, além de peças de roupas e calçado. Havia um afundamento no crânio e também foram recolhidos ossos dos braços, caixa torácica e pernas. Outros ossos foram encontrados já a cerca de 1,5 metro de distância.

Segundo o delegado Carlos Delano, titular da DEH (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídios), é possível que os ossos sejam de uma segunda vítima. No entanto, as investigações estão no início e ainda não foi possível identificar se a primeira vítima encontrada é um homem ou mulher.

Foram aproximadamente 8 horas de buscas e escavações, que devem continuar no decorrer da semana. Além do apoio das cadelas de busca de desaparecidos dos bombeiros, Laika e Mali, um equipamento que pode ajudar a localizar cadáveres também deverá ser utilizado.

Inicialmente, há suspeita de que o cemitério clandestino esteja ligado a crimes do PCC (Primeiro Comando da Capital), o conhecido ‘tribunal do crime’.

Jornal Midiamax