Conselho Tutelar e Polícia Militar foram até a casa da família, após suspeita de maus-tratos e possível cárcere privado contra a menina. Foi constatado pelas equipes que a criança estava vivendo em condições insalubres e ainda confirmada a situação de maus-tratos.

A menina foi entregue aos conselheiros e depois liberada para uma tia, que assinou um termo de responsabilidade. A mãe foi encaminhada para a delegacia e o pai não foi localizado. Eles responderão por maus-tratos qualificado, se praticado contra pessoa menor de 14 anos.