Polícia

Bandidos atiraram 4 vezes e 11 policiais ajudaram reféns em Campo Grande

'Atira na janela, atira na janela', disseram bandidos em ligação ao Jornal Midiamax

Thatiana Melo Publicado em 19/10/2021, às 09h24

None
(Leonardo França, Midiamax)

Foram quatro disparos feitos pelos bandidos com um revólver calibre .38 durante um roubo frustrado que acabou com duas mulheres reféns, nessa segunda-feira (18), no bairro Coopharádio, em Campo Grande. As duas mulheres foram resgatadas após 2 horas de negociação.

Informações obtidas pelo Jornal Midiamax com o registro da ocorrência são de que foram feitos quatro disparos, um deles atingiu a porta do banheiro e outros dois o teto da casa. Outro tiro teria sido disparado contra a janela da residência — e foi ouvido por um repórter do Midiamax que estava ao telefone com um dos criminosos, que ligou para o jornal exigindo a presença da imprensa. 

Cerca de 11 policiais participaram da negociação para libertar a idosa de 81 anos, e a sua cuidadora de 51 anos, que ficaram em poder dos bandidos. Policiais do Bope (Batalhão de Operações Especiais) e do Batalhão de Choque isolaram a rua para negociar com os bandidos. 

Terror

Os policiais foram até a residência após ligação para o Ciops sobre a invasão a uma casa. Quando os militares chegaram, escutaram gritos de uma das vítimas, pedindo por socorro. Ela gritava que um dos autores estaria apontando uma arma para sua cabeça, impossibilitando assim que os policiais entrassem na casa. Foi pedido socorro e um dos militares ficou vigiando a porta da residência.

Foi iniciada a conversa com os criminosos, que disseram que não iriam mais machucar as vítimas, exigindo a presença da imprensa e de negociadores. Em seguida, chegaram ao local equipes do Bope e do Choque. Durante a conversa, os bandidos disseram que iriam levar as mulheres até um cômodo da residência para poder dialogar com os policiais.

Negociação

Durante a negociação, os autores efetuaram mais disparos dentro da residência — dois atingiram o teto da casa e um terceiro a porta do banheiro. Após algum tempo em negociação com a equipe do Bope, os autores resolveram se render, liberando as vítimas. Com eles, estava um revólver calibre .38, com 19 munições intactas e três cartuchos deflagrados, duas facas, um celular, além de ser encontrado com eles um par de brincos, um colar e um anel. 

Roubo de cadeiras

Segundo o capitão Moreira Araújo, comandante do Bope, após a prisão dos bandidos, eles teriam dito que entraram na casa para roubar cadeiras, mas tiveram os planos frustrados quando uma viatura da polícia chegou ao local depois de ligações para o Ciops de uma invasão à residência. 

Mas, segundo o capitão, os bandidos possivelmente mentiram na tentativa de minimizar o crime. Já que, quando os policiais chegaram a casa, visualizaram os criminosos fazendo das mulheres reféns. Os dois foram presos após duas horas de negociação e irão passar por audiência de custódia, onde será determinada ou não pela prisão preventiva. 

Jornal Midiamax