Polícia

Banco de dados deve ajudar na identificação de cadáver ‘mumificado’ em viaduto de Campo Grande

Corpo foi encontrado por funcionários que faziam a manutenção do viaduto neste fim de semana

Thatiana Melo Publicado em 20/09/2021, às 12h40

None
(Henrique Arakaki, Midiamax)

Amostras de DNA coletas e armazenadas no banco de dados, em Campo Grande, devem ajudar a identificar o cadáver encontrado em estado de mumificação dentro da estrutura do pontilhão, na saída para Três Lagoas, no anel viário, em Campo Grande, neste sábado (18).

De acordo com o delegado Carlos Delano, titular da DEH (Delegacia Especializada de Homicídios), será coletado material genético da vítima para ser confrontado com as amostras armazenadas no banco de dados. O caso inicialmente será investigado como morte a esclarecer pela 3º Delegacia de Polícia Civil. 

Segundo informações passadas pela perícia, por conta do estado do corpo, não há como precisar o tempo que ele está no local, chegando a possibilidade de estar há meses lá. O corpo estava em estado de ‘mumificação’. Como o local é quente e úmido, o cadáver acabou sendo preservado, o que deve dificultar determinar o dia da morte. O corpo estava vestido com um casaco. 

No dia do achado do cadáver, o delegado Antônio Ribas disse que não havia marcas de sangue no local onde o corpo foi encontrado o que poderia indicar um crime. O corpo será enviado para o IML (Instituto de Medicina Legal) para determinar as causas da morte. Digitais serão analisadas para a possível identificação. 

Jornal Midiamax