Polícia

Baleado no Tiradentes voltou ferido para a casa e foi socorrido pelos bombeiros

O homem que havia sido baleado mais cedo e pediu ajuda a moradores na Rua Bela Cintra, no bairro Tiradentes, em Campo Grande, voltou para a casa e foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros. Ele, que tem 32 anos, foi atingido nas costas e estava bastante agitado, aparentando estar sob efeito de entorpecentes. Conforme apurado, […]

Renan Nucci Publicado em 29/01/2021, às 16h10

Viaturas do Corpo de Bombeiros e da PM no local de atendimento. Foto: Leonardo de França
Viaturas do Corpo de Bombeiros e da PM no local de atendimento. Foto: Leonardo de França - Viaturas do Corpo de Bombeiros e da PM no local de atendimento. Foto: Leonardo de França

O homem que havia sido baleado mais cedo e pediu ajuda a moradores na Rua Bela Cintra, no bairro Tiradentes, em Campo Grande, voltou para a casa e foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros. Ele, que tem 32 anos, foi atingido nas costas e estava bastante agitado, aparentando estar sob efeito de entorpecentes.

Conforme apurado, ele foi localizado na Rua do Pandeiro, na frente de casa. A Polícia Militar esteve no local, mas não há informações sobre autoria e motivação do ataque. O enteado alegou que estava dentro de casa, quando ouviu som de quatro a cinco disparos. Ao sair para verificar, viu o padrasto correndo.

O homem teria sido baleado no cruzamento da Rua do Pandeiro com a Rua do Contrabaixo. De lá, saiu correndo pelo bairro e foi pedir ajuda a moradores na Rua Bela Cintra. Ele dizia frases desconexas e andava de um lado para o outro sem parar. Os moradores então acionaram o Corpo de Bombeiros.

Porém, quando a equipe chegou, ele havia saído. Testemunhas chegaram a relatar que ele havia sido socorrido por terceiros e levado ao posto de saúde da região. Porém, nenhum ferido deu entrada na unidade. Momentos mais tarde, ele voltou para a casa ferido, onde familiares o convenceram a ser atendido.

Sendo assim, os bombeiros foram à residência, na Rua do Pandeiro, e o transportaram para a Santa Casa. Não havia sangramento, mas por precaução a viatura seria interceptada por outra do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), para que a vítima fosse acompanhada por um médico até o hospital.

Jornal Midiamax