Polícia

Antes de ser assassinada, dupla morta em caminhonete se preparava para carregar drogas

Uma das vítimas já havia sido presa em Ponta Porã tentando transportar maconha

Danielle Errobidarte e Dayene Paz Publicado em 14/05/2021, às 14h32

None
(Foto: Arquivo Midiamax)

A dupla morta em uma caminhonete, na entrada de uma fazenda às margens da MS-010, em Campo Grande, se preparava para carregar o veículo com drogas. Francisco Gomes da Silva, de 54 anos, e Wanderley Jesus da Silva, de 32, foram baleados na cabeça e na região do torso no dia 12 de março.

Segundo as investigações, realizadas pelo Delegado Enilton Zalla, da 2ª Delegacia de Polícia da Capital, a principal linha de investigação é relacionada ao tráfico de drogas. Segundo ele, a dupla não morava em Mato Grosso do Sul, o que dificulta o acesso a testemunhas. Além disso, o local da morte é ermo e escuro, e não possui câmeras de segurança.

Em junho de 2020, Francisco já havia sido preso por tráfico de drogas, durante um bloqueio policial na BR-463, em Ponta Porã. Ele era o condutor de uma picape Fiat Strada carregada com 33,2 quilos de maconha. Ao notar a aproximação policial, o passageiro desceu com duas mochilas, enquanto Francisco tentou manobrar às presas e retornar para Ponta Porã, porém, ambos foram abordados.

Na mochila foram encontrados vários tabletes de maconha. O passageiro afirmou que a droga era de Francisco e que havia sido contratado por este para levar o material até Ariquemes (RO). Pelo serviço, receberia R$ 2 mil. Diante dos fatos, ambos foram presos e encaminhados à Delegacia da PF em Ponta Porã.

No dia do crime, um deles foi baleado na cabeça e o outro na região do torso. Testemunhas relataram aproximadamente seis disparos. Inicialmente foram dois, seguidos de uma breve pausa, e na sequência ocorreram outros quatro. A suspeita é de que seja apenas um autor.

Jornal Midiamax