Polícia

Transferência de presos da Máxima seria para desafogar sistema carcerário, segundo Sejusp

A transferência de aproximadamente 50 presos da Penitenciária de Segurança Máxima de Campo Grande, no Jardim Noroeste, para o novo presídio que fica a 100 metros da Gameleira, na zona rural, seria para desafogar o sistema penitenciário, segundo a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública). Em nota, o diretor-presidente da Agepen (Agência […]

Thatiana Melo Publicado em 03/02/2020, às 12h20 - Atualizado às 13h21

Até helicóptero foi usado na transferência dos presos (Henrique Arakaki, Midiamax)
Até helicóptero foi usado na transferência dos presos (Henrique Arakaki, Midiamax) - Até helicóptero foi usado na transferência dos presos (Henrique Arakaki, Midiamax)

A transferência de aproximadamente 50 presos da Penitenciária de Segurança Máxima de Campo Grande, no Jardim Noroeste, para o novo presídio que fica a 100 metros da Gameleira, na zona rural, seria para desafogar o sistema penitenciário, segundo a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública).

Em nota, o diretor-presidente da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), Aud de Oliveira Chaves, afirmou que a transferência foi feita para desafogar o sistema penitenciário. Os nomes dos detentos transferidos não foram divulgados, e nem se fariam parte de facção criminosa.

Mas, a princípio os presos transferidos seriam os que estariam recebendo ameaças de morte, que cumprem pena por estupro. A Sejusp afirmou que não será divulgada estas informações por medidas de segurança.

Toda a transferênciateve reforço policial e até o uso de helicópteros. Foram usadas na transferência dos presos sete vans. O trânsito no anel viário chegou a ser interditado para a operação.

Novo presídio

O novo presídio foi inaugurado no dia 26 de janeiro deste ano, com uma estrutura de 101 celas construídas com material resistente a escavações dificultando fugas de detentos, o novo presídio de segurança Máxima da Gameleira.

Ao todo, a penitenciária possui 78 celas divididas em três pavilhões; um pavilhão com 11 celas da saúde e 12 celas disciplinares. O investimento foi de e mais de R$18,9 milhões, sendo R$ 14,5 milhões oriundos de recursos federais do Depen (Departamento Penitenciário Nacional) e R$ 4,3 milhões do Estado, a unidade penal conta com uma área total de 18,1 mil m² e mais de 5,7 mil m² de área construída, sendo composta por 101 celas coletivas e de isolamento, salas de aula, setores administrativos e de assistência psicossocial, ala de saúde, áreas de visita, entre outros espaços.

Jornal Midiamax