Polícia

Preso por destruir apartamento em condomínio de luxo alega que filho foi agredido

Homem de 41 preso em flagrante na noite do dia 31 de dezembro após destruir o apartamento do vizinho no condomínio, localizado na Avenida Afonso Pena, em frente ao Shopping Campo Grande, alegou que o filho de 10 anos foi agredido pelo advogado. Ele ainda disse à polícia que soltava bombinhas no canteiro da avenida. […]

Renata Portela Publicado em 02/01/2020, às 09h07 - Atualizado às 09h09

None

Homem de 41 preso em flagrante na noite do dia 31 de dezembro após destruir o apartamento do vizinho no condomínio, localizado na Avenida Afonso Pena, em frente ao Shopping Campo Grande, alegou que o filho de 10 anos foi agredido pelo advogado. Ele ainda disse à polícia que soltava bombinhas no canteiro da avenida.

Segundo o relato do piloto de avião, que acabou detido em flagrante, ele comprou bombinhas para soltar no canteiro da avenida com o filho de 10 anos. Ele alegou que o vizinho, advogado de 56 anos, foi até ele e o agrediu com um soco, além de dar um tapa na orelha da criança. Para a polícia, ele ainda afirmou que perdeu a razão após ver o filho ser agredido.

Preso por destruir apartamento em condomínio de luxo alega que filho foi agredido
(Foto: Via WhatsApp)

O homem confessou os crimes, tanto de ter riscado a Mercedes-Benz e derrubado a Harley-Davidson da vítima, como de ter invadido o apartamento do vizinho, destruído objetos e móveis e sujado os cômodos com extintores. A caixa de luz e a porta também foram destruídas. No entanto, ele negou ter feito qualquer tipo de ameaça e solicitou ser representado pela Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul, sem apresentar advogado.

O delegado plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro que atendeu ao caso não arbitrou fiança, uma vez que os crimes em que o piloto foi enquadrado somaram mais de 4 anos de pena máxima restritiva de liberdade. Ele deve passar por audiência de custódia nesta terça-feira (2).

Depoimento da vítima

Conforme depoimento do advogado de 56 anos, qualificado como vítima no caso, ele teve apoio de outros moradores para ir até a rua reclamar sobre o barulho dos rojões que o acusado soltava. Ele chegou a filmar o momento em que os rojões eram disparados no canteiro da Avenida Afonso Pena.

No entanto, quando ele desceu até a avenida, encontrou com o morador na portaria, mas não sabia que era ele quem estava fazendo o barulho. Segundo ele, o cachorrinho da casa estava bastante assustado e passando mal e, por isso, foi até lá pedir para o homem parar com o barulho. Quando eles se encontraram, o suspeito teria dito que era ele quem soltava os rojões e ascendeu um aparelho com fogo na ponta, que ele não soube especificar o que era, dizendo que queimaria o olho do vizinho.

O morador sentiu algo quente e acabou queimado no braço, quando reagiu e deu um soco no vizinho. Ele então saiu para voltar ao apartamento, quando foi novamente seguido pelo homem e queimado mais uma vez. As lesões foram apontadas no registro da ocorrência. Quando ele saiu do elevador, teria encontrado com a esposa do autor, que estaria armada com um taco de beisebol de metal e chegou a golpear o advogado na barriga.

A mulher teria dito para ele não mexer com o marido dela, ou o acertaria na cabeça. Após isso, o acusado teria interfonado no apartamento, exigindo que o morador descesse dizendo que “se não descer vou buscar um presidiário pra te matar”. Em seguida ele foi ao apartamento do vizinho, quando começou a quebrar a porta, quebrou a caixa de luz, além de danificar vários objetos do apartamento. Ele também chegou a machucar o cachorrinho da vítima e danificou o carro e a moto do vizinho, que estima que teve prejuízo de R$ 70 mil.Preso por destruir apartamento em condomínio de luxo alega que filho foi agredido

Polícia Militar foi acionada e, preso em flagrante, o morador foi autuado pelos crimes de ameaça, dano qualificado se cometido com violência à pessoa ou grave ameaça e violação a domicilio, qualificado se cometido durante a noite ou com emprego de violência ou por duas ou mais pessoas. Audiência de custódia que deve ser realizada nesta quinta-feira define se o piloto permanece preso ou se responderá pelos crimes em liberdade.

Conforme a Justiça, o acusado já tem passagens pelos crimes de ameaça, qualificados por violência doméstica e tem contra ele medidas protetivas.

Confira o vídeo feito pelo morador:

Jornal Midiamax