Polícia

Polícia investiga violação de sigilo funcional após caso de estupro parar nas redes sociais

A Polícia Civil de Ponta Porã, cidade que fica a 346 quilômetros de Campo Grande, vai investigar suposto vazamento de dados sigilosos. Isso, porque na última sexta-feira (6), algumas pessoas divulgaram o teor de um inquérito sobre estupro de vulnerável na íntegra, nas redes sociais. Segundo as informações da polícia, os suspeitos violaram dados sigilosos […]

Renata Portela Publicado em 10/11/2020, às 12h57 - Atualizado às 13h50

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Imagem ilustrativa

A Polícia Civil de Ponta Porã, cidade que fica a 346 quilômetros de Campo Grande, vai investigar suposto vazamento de dados sigilosos. Isso, porque na última sexta-feira (6), algumas pessoas divulgaram o teor de um inquérito sobre estupro de vulnerável na íntegra, nas redes sociais.

Segundo as informações da polícia, os suspeitos violaram dados sigilosos de um boletim de ocorrência da Delegacia de Atendimento à Mulher daquele município. Ainda divulgaram nas redes sociais o inquérito policial sobre o caso de estupro de vulnerável na íntegra.

A partir daí, a foto do suspeito de cometer o crime foi vinculada nas publicações, sem que ainda fosse comprovada a autoria. Para a polícia, o entendimento é de que coloca-se em risco a integridade do suspeito, assim como do andamento de toda a investigação.

Com isso, foram anexados na denúncia prints das redes sociais com as publicações para que seja apurado quem vazou as informações. O responsável poderá responder por violação do sigilo funcional, além de improbidade administrativa que atenta contra princípio da administração pública.

Jornal Midiamax