Polícia

Polícia reconstitui duplo homicídio para esclarecer detalhes do crime

Na manhã desta terça-feira (2), a Polícia Civil de Costa Rica, cidade a 384 quilômetros de Campo Grande, realizou a reprodução simulada do feminicídio de Marilei Ramos, de 32 anos, e homicídio do namorado dela, Gilcione Rodrigues Martins, 34 anos. O crime aconteceu na última quinta-feira, 28 de maio. Jair Soares de Oliveira, de 32 […]

Renata Portela Publicado em 02/06/2020, às 11h32 - Atualizado às 13h07

Jair participa da reprodução simulada comandada pelo delegado Cleverson (Foto: MS Todo Dia)
Jair participa da reprodução simulada comandada pelo delegado Cleverson (Foto: MS Todo Dia) - Jair participa da reprodução simulada comandada pelo delegado Cleverson (Foto: MS Todo Dia)

Na manhã desta terça-feira (2), a Polícia Civil de Costa Rica, cidade a 384 quilômetros de Campo Grande, realizou a reprodução simulada do feminicídio de Marilei Ramos, de 32 anos, e homicídio do namorado dela, Gilcione Rodrigues Martins, 34 anos. O crime aconteceu na última quinta-feira, 28 de maio.

Jair Soares de Oliveira, de 32 anos, que teve a prisão preventiva decretada pelo Judiciário na segunda-feira (1º), acompanhou os trabalhos da Polícia Civil e Perícia na casa da vítima. O delegado Cleverson Alves dos Santos, titular da Delegacia de Costa Rica, informou que o objetivo da ação foi colher informações para auxiliar no esclarecimento dos fatos.

Polícia reconstitui duplo homicídio para esclarecer detalhes do crime
Trabalho foi realizado na casa da vítima, local do crime (Foto: MS Todo Dia)

Segundo o delegado, Jair disse que, ao invadir a casa da ex, foi surpreendido por Gilcione, que estava armado. “Ele disse que por este motivo, esfaqueou Gilcione e depois a ex. Por isso vamos reproduzir a cena do crime a fim comprovar o que de fato aconteceu”, disse o delegado ao site MS Todo Dia.

“O objetivo da reprodução é atestar a versão do acusado e comparar com os vestígios encontrados pela perícia no local do crime. Vamos analisar se há consistência no que ele disse para nós aqui com o que foi levantado no dia dos fatos”, pontuou o perito Rodrigo Evaristo Wenceslau, que estava acompanhado do Coordenador da unidade de Perícias e Identificação de Costa Rica e Região, Márcio Tobias.

Jair teria invadido a casa da ex-mulher na madrugada de quinta-feira e foi até o quarto onde ela dormia com o namorado e a filha de 3 anos. Ele esfaqueou Marilei e Gilcione até a morte, na frente da criança, e fugiu em seguida. As outras duas crianças que dormiam na casa não presenciaram o crime.

Polícia reconstitui duplo homicídio para esclarecer detalhes do crime
(Foto: MS Todo Dia)

Uma parente de Gilcione teria ido até a casa de manhã e encontrado as vítimas mortas. Jair ficou escondido em fazendas na região e segundo o delegado Cleverson, teria a intenção de fugir para o Pantanal. Ele furtou 20 litros de combustível de uma das fazendas e a informação foi repassada pela Polícia Civil para a Polícia Militar.

Com isso, Jair foi encontrado na região de Pedro Gomes, onde foi preso. Ele chegou a resistir, se negando a sair do carro onde estava, e alegou depois para o delegado que queria que os policiais atirassem nele. Ainda durante a prisão ele tentou desarmar um dos militares e disse que atentaria contra a própria vida, mas foi impedido e preso.

Jornal Midiamax