Polícia

Oficial da PM que matou professora em acidente a 125 Km/h vai pagar R$ 10 mil de fiança

Foi concedida a liberdade do tenente da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, Alexander Nantes Stein, 32 anos, que matou em um acidente de trânsito a professora Suellen Vilela Brasil. A revogação da prisão preventiva foi assassinada nesta terça-feira (9). A revogação foi condicionada ao pagamento de fiança de R$ 10.450, além do uso […]

Thatiana Melo Publicado em 09/06/2020, às 12h43 - Atualizado em 10/06/2020, às 09h37

Militar foi afastado de suas funções
Militar foi afastado de suas funções - Militar foi afastado de suas funções

Foi concedida a liberdade do tenente da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, Alexander Nantes Stein, 32 anos, que matou em um acidente de trânsito a professora Suellen Vilela Brasil. A revogação da prisão preventiva foi assassinada nesta terça-feira (9).

A revogação foi condicionada ao pagamento de fiança de R$ 10.450, além do uso de tornozeleira eletrônica pelo militar, que estava detido no Presídio Militar de Campo Grande. Ele também está proibido de frequentar bares, e manter contato com testemunhas do acidente por qualquer meio. O militar também terá a suspensão parcial da sua função no policiamento ostensivo de rua.

O Instituto de Criminalística de Campo Grande concluiu que o tenente da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, Alexander Nantes Stein, 32 anos, estava a uma velocidade de 125 km/h, quando bateu no carro da professora Suellen Vilela Brasil. Com o impacto, o carro da professora foi lançado contra uma árvore, na avenida Gury Marques, e ela não resistiu aos ferimentos.

No dia 4 deste mês, o militar foi interrogado na 6º Delegacia de Polícia Civil e admitiu ter ingerido bebidas alcoólicas antes do almoço naquele dia. No entanto, a defesa nega que ele tenha bebido. Ele foi afastado das atividades na polícia até fim do processo criminal. A Corregedoria também abriu procedimento para apurar a conduta do militar.

Morte da professora

O acidente que matou a professora Suellen Vilela Brasil, aconteceu na Avenida Gury Marques, região do bairro Cidade Morena, na noite de sábado, 30 de maio. O policial estaria embriagado e foi autuado em flagrante por homicídio culposo.

A professora Suellen seguia em um veículo Renault Clio, sentido Avenida Guaicurus, quando em frente a uma empresa de transportes, reduziu a velocidade, momento em que o veículo que dirigia, foi atingido na traseira pelo Gol dirigido pelo policial. Com o impacto, o automóvel de Suellen foi lançado à direita e atingiu uma árvore.

Ela não resistiu e morreu no local. O Gol, por sua vez, saiu pela esquerda, atravessou o canteiro central e parou na outra faixa de rolamento. Alexander estava com sinais de embriaguez, admitiu ter ingerido bebidas alcoólicas, mas se recusou a fazer o teste do bafômetro.

Ele afirmou que estava saindo do Bairro Moreninhas e, logo adiante, se deparou com a vítima reduzindo a velocidade. Ele não conseguiu frear a tempo e bateu no Clio de Suellen. Diante dos fatos, foi preso e encaminhado à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) das Moreninhas, pois reclamava de dores pelo corpo.

Jornal Midiamax