Polícia

Motorista que atropelou e matou idosa paga fiança de R$ 15 mil e ganha liberdade

O motorista de 52 anos que atropelou e matou a idosa de 76 anos, Maristela de Oliveira, na noite de sexta-feira (28), na Avenida Lúdio Martins Coelho, no bairro Bom Jardim, em Campo Grande pagou fiança e foi liberado pela Justiça. A idosa teve o corpo arrastado por cerca de 38 metros. Ela foi atropelada […]

Thatiana Melo Publicado em 31/08/2020, às 11h04 - Atualizado às 13h43

None

O motorista de 52 anos que atropelou e matou a idosa de 76 anos, Maristela de Oliveira, na noite de sexta-feira (28), na Avenida Lúdio Martins Coelho, no bairro Bom Jardim, em Campo Grande pagou fiança e foi liberado pela Justiça. A idosa teve o corpo arrastado por cerca de 38 metros. Ela foi atropelada por um motorista de 52 anos, que estava conduzindo uma camionete F-250.

O homem passou por audiência de custódia nesta segunda-feira (31) onde foi determinada a fiança de R$ 15 mil, que já foi paga. O motorista recebeu a liberdade. O advogado já havia feito o pedido de revogação da prisão, quando o autor foi preso. Além do pagamento de fiança, a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) foi recolhida sendo proibido de dirigir. Foi determinado também o arresto do veículo do autor.

O acidente aconteceu por volta das 17h30 de sexta (28), quando a idosa tentava atravessar a via, sendo que o motorista que estaria embriagado a atropelou arrastando o corpo por cerca de 38 metros. Ele recusou-se a fazer o teste de bafômetro, porém, a polícia fez um termo de constatação de embriaguez. Ainda segundo a polícia, ele apresentava olhos vermelhos, desordem nas vestes, estava exaltado, falante e com odor de álcool no hálito.

Na delegacia, ele acabou confessando que havia ingerido bebida alcoólica durante o almoço. Consta no boletim de ocorrência, que na colisão, houve um arrastamento de 38 metros da vítima. Ele responderá por praticar homicídio culposo na direção de veículo automotor e por conduzir veículo automotor com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool ou de outra substância psicoativa que determine dependência. O caso foi registrado no Cepol.

Jornal Midiamax