O carregamento de apreendido pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) na manhã desta segunda-feira (25), em Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande, seguia para o interior de São Paulo. Os responsáveis pelo transporte, moradores em Frutal (MG), foram presos em flagrante e afirmaram que receberiam R$ 10 mil pelo serviço.

Conforme noticiado, os policiais faziam no quilômetro 68 da BR-463, quando abordaram um Toyota Corolla. O motorista, de 26 anos, e o passageiro, de 29 anos, eram moradores da cidade de Frutal e demonstraram nervosismo que levantou suspeita por parte dos policiais. Uma busca foi realizada no carro, porém nada foi encontrado. 

Em seguida foi abordado uma caminhão Ford F4000, com placas de Frutal, carregado com abacaxis. O motorista, de 42 anos, estava acompanhado de um passageiro, de 21. Em vistoria à carga de abacaxis, foram descobertos os tabletes de maconha. Ao todo eram 648 quilos da droga. O motorista confessou ter sido contratado em para transportar o entorpecente e Ribeirão Preto (SP) e que receberia R$ 10 mil pelo serviço. 

O passageiro negou envolvimento no crime. Desconfiados da existência de outro batedor para o caminhão, os agentes informaram à Unidade Operacional da PRF em Rio Brilhante, onde a equipe abordou um Fiat Punto, também com placas de Frutal. O condutor, de 26 anos, ao ser questionado, confessou estar fazendo o serviço de batedor no transporte da maconha. 

Disse ainda que receberia R$ 2 mil para informar ao outro envolvido sobre as fiscalizações em rodovias. Os ocupantes do Toyota Corolla, abordados inicialmente, declararam não fazerem parte da prática criminosa, porém não souberam explicar os motivos da viagem. Todos foram detidos e encaminhados para a em Ponta Porã, junto com a droga e os veículos.