Polícia

Ministra fecha presídio com lideranças do PCC onde filha de servidor tentou entrar com dinamite

A ministra da Justiça do Paraguai Cecília Pérez Rivas determinou o fechamento temporário da Penitenciária Nacional de Tacumbú, em Assunção, depois que a filha de um servidor foi presa tentando entrar no local com dinamite em gel.  Havia explosivo o bastante para derrubar uma parede. A medida visa garantir a segurança, tendo em vista que […]

Renan Nucci Publicado em 21/10/2020, às 14h31 - Atualizado em 22/10/2020, às 08h29

Presídio de Tacumbú. Foto: ABC Color
Presídio de Tacumbú. Foto: ABC Color - Presídio de Tacumbú. Foto: ABC Color

A ministra da Justiça do Paraguai Cecília Pérez Rivas determinou o fechamento temporário da Penitenciária Nacional de Tacumbú, em Assunção, depois que a filha de um servidor foi presa tentando entrar no local com dinamite em gel

Havia explosivo o bastante para derrubar uma parede. A medida visa garantir a segurança, tendo em vista que lá estão recolhidas lideranças de facções como o PCC (Primeiro Comando da Capital), indivíduos de alta periculosidade.

Conforme a decisão, o presídio deixa de receber novos presos até que a situação seja esclarecida. Existe a suspeita de envolvimento de funcionários, motivo pelo qual o diretor-geral de estabelecimentos penitenciários, Jorge Caballero, foi tirado do cargo. 

Na segunda-feira, a filha de um servidor da Justiça paraguaia foi presa entrando com o explosivo em gel na unidade. A encomenda seria entregue a um preso chamado Carlos Duarte que, conforme a ministra, não tem histórico de envolvimento com o crime organizado. O caso é investigado com apoio do Ministério Público e Polícia Nacional.

Jornal Midiamax