Polícia

Justiça remarca interrogatório de pai que matou filho e pede para ouvir mãe 

Durante audiência realizada na tarde desta segunda-feira (17), no Fórum de Campo Grande, o juiz Aluízio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri, remarcou data do interrogatório de Evaldo Christian Dias Zenteno, preso pela morte do filho de apenas dois anos. Ele também irá responder por tentativa de homicídio contra o menino. […]

Renan Nucci Publicado em 17/02/2020, às 15h50 - Atualizado às 17h00

Advogado usa pasta para cobrir rosto do réu na saída de audiência. Foto: Leonardo de França
Advogado usa pasta para cobrir rosto do réu na saída de audiência. Foto: Leonardo de França - Advogado usa pasta para cobrir rosto do réu na saída de audiência. Foto: Leonardo de França
Justiça remarca interrogatório de pai que matou filho e pede para ouvir mãe 
Réu responde pelo homicídio do filho. Foto: Leonardo de França

Durante audiência realizada na tarde desta segunda-feira (17), no Fórum de Campo Grande, o juiz Aluízio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri, remarcou data do interrogatório de Evaldo Christian Dias Zenteno, preso pela morte do filho de apenas dois anos. Ele também irá responder por tentativa de homicídio contra o menino.

O interrogatório do réu seria realizado nesta audiência, mas conforme apurado, durante o procedimento o magistrado anunciou ter recebido o aditamento da denúncia de tentativa de homicídio. Por este motivo decidiu ouvir Evaldo no dia 10 de março, às 10 horas, ocasião em que a ex-mulher dele, mãe da criança, também será ouvida como testemunha de acusação. 

Nesta segunda-feira, falaram apenas uma policial civil, uma testemunha de defesa e outra de acusação. Evaldo matou o filho afogado em uma bacia em setembro do ano passado, em Campo Grande. Na ocasião, alegou que havia agido para se vingar da ex, por não aceitar o fim do relacionamento. No entanto, durante investigações foi descoberto que antes de consumar o ato, o homem havia tentado matar a criança.

No aditamento da denúncia, o Ministério Público Estadual relatou que no dia 12 de setembro de 2019, o bebê Miguel Henrique dos Reis Zenteno foi jogado contra o chão pelo pai, causando um traumatismo craniano na criança, que foi levada para o hospital. Na época, o pai havia contado mãe do bebê que ele havia caído da cama. A criança chegou a perder a consciência com o trauma.

Jornal Midiamax