Na manhã desta quinta-feira (10), a Polícia Federal realiza a Operação Teiniaguá, para desarticular organização criminosa especializada em tráfico internacional de drogas e armas. O grupo age para fornecer os produtos ilícitos à uma facção criminosa na Serra Gaúcha.

Conforme a Polícia Federal, a ação deve prender e isolar os líderes da organização criminosa, além de agir na descapitalização patrimonial do grupo. Ao todo 180 agentes federais atuam no cumprimento de 22 mandados de prisão preventiva e 28 de busca e apreensão em (Caxias do Sul, Farroupilha, Bento Gonçalves, Sapiranga, Campo Bom, Parobé, Taquara, Lajeado e Charqueadas) e em (MS).

Também devem ser cumpridas 11 ordens judiciais de sequestro de veículos e imóveis de propriedades dos investigados e bloqueadas mais de 57 contas bancárias de pessoas físicas e também empresas, utilizadas para lavagem de dinheiro.

A investigação da PF durou aproximadamente 6 meses e apurou que o grupo internalizou mais de uma tonelada e meia de cocaína e enviou de forma ilegal para o exterior aproximadamente R$ 25 milhões, para pagamento de traficantes no Paraguai. O grupo atua dentro e fora do sistema prisional no Rio Grande do Sul.

Três lideranças tiveram a prisão preventiva decretada. Um deles tinha conseguido há 10 dias progressão para regime com tornozeleira eletrônica, após ficar 11 anos preso. Os investigados responderão pelo tráfico internacional de drogas, organização criminosa, associação para o tráfico e lavagem de dinheiro, além de .