Polícia

Durante operação contra crimes eleitorais, filho de prefeito é flagrado com R$ 4 mil em espécie

Operação das polícias Civil, Militar e Ministério Público Estadual contra crimes eleitorais apreendeu R$ 4 mil com o filho do atual prefeito de Caracol, distante 303 km da Capital. Na madrugada desta sexta-feira (13), o homem de 26 anos estava em uma conveniência quando policiais vistoriavam aglomerações indevidas. O valor foi apreendido pelo MPE e […]

Danielle Errobidarte Publicado em 13/11/2020, às 15h53 - Atualizado às 16h37

Operação envolve PC, PM e MPE. (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)
Operação envolve PC, PM e MPE. (Foto: Divulgação/ Polícia Civil) - Operação envolve PC, PM e MPE. (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)

Operação das polícias Civil, Militar e Ministério Público Estadual contra crimes eleitorais apreendeu R$ 4 mil com o filho do atual prefeito de Caracol, distante 303 km da Capital. Na madrugada desta sexta-feira (13), o homem de 26 anos estava em uma conveniência quando policiais vistoriavam aglomerações indevidas.

O valor foi apreendido pelo MPE e estava em notas de R$ 100, divididas em maços de R$ 1 mil. A Operação Eleições 2020 visa coibir ilícitos eleitorais e a dissuasão de crimes de trânsito e aglomerações com o uso de som em volume excessivo.

Após a abordagem do filho do prefeito, foi realizada uma blitz pela PM (Polícia Militar) e outros três condutores foram presos em flagrante por dirigirem embriagados. Um deles também estava com motocicleta adulterada, com placas de Belo Horizonte. Ele informou aos policiais que havia comprado o veículo de seu tio e pagado R$ 980.

O prefeito de Caracol, Manoel Viais, gravou um vídeo, logo após uma briga envolvendo um funcionário da prefeitura, na tarde desta quinta-feira (12). Na gravação, ele pede apoio a forças de segurança. “Aqui em Caracol está acontecendo uma aberração. Já informei à Polícia Militar, mas atitude nenhuma está adiantando. Hoje um fato aconteceu. Um funcionário público foi agredido. Pedimos ao comandante da PM, a Polícia Federal e imploro ao Ministério Público que tome as medidas necessárias”, afirma.

Segundo informações do registro policial, uma moradora da rua onde ocorreu a confusão, havia pedido à Secretaria de Assistência Social do município que entregasse uma cesta básica em sua casa. Ainda segundo ela, quando a assistente chegou, junto ao motorista, este foi surpreendido pelos dois suspeitos da agressão.

Jornal Midiamax