Polícia

Após matar vizinha esfaqueada, mulher avisou parentes que ia ‘meter faca em todo mundo’

Após matar com sete facadas Sandra Aparecida Souza Mendes de 51 anos, no bairro Taquarussu, em Campo Grande, a autora Bruna Fernanda de 23 anos teria enviado um áudio a parentes avisando que iria ‘meter a faca em todo mundo’, segundo um membro da família, que foi até a vila de quitinetes para buscar a […]

Thatiana Melo Publicado em 02/09/2020, às 08h42 - Atualizado às 16h24

(Henrique Arakaki, Midiamax)
(Henrique Arakaki, Midiamax) - (Henrique Arakaki, Midiamax)

Após matar com sete facadas Sandra Aparecida Souza Mendes de 51 anos, no bairro Taquarussu, em Campo Grande, a autora Bruna Fernanda de 23 anos teria enviado um áudio a parentes avisando que iria ‘meter a faca em todo mundo’, segundo um membro da família, que foi até a vila de quitinetes para buscar a criança de 7 anos, filha de Bruna, que estava no local.

Ele disse ao Jornal Midiamax que recebeu um áudio na noite desta terça-feira (1º) falando que precisava sair de lá por que iria ‘meter a faca em todo mundo’ e que já tinha metido a faca em uma mulher, que estava morrendo. Segundo esse parente, a Sandra era quem viva provocando brigas no local.

Uma moradora, que não quis se identificar, disse que antes do assassinato as duas estavam bebendo cerveja juntas, sendo que algum tempo depois ouviu uma confusão e saiu para ver o que estava acontecendo. Foi quando viu Bruna Fernanda arremessando garrafas contra a casa de Sandra.

Neste momento, Sandra saiu armada com facas e as duas passaram a brigar e se esfaquearem. Um morador separou a briga. Sandra foi ferida com sete facadas no rosto e tórax e acabou morrendo no local antes da chegada do socorro. Bruna fugiu, mas acabou presa por equipes da guarda municipal que faziam rondas do toque de recolher.

Ela foi levada para uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) para receber cuidados médicos, já que também se feriu e depois foi levada para a delegacia.

Informações passadas pelo delegado Nilson Friedrich é de que as duas mulheres tinham uma rixa antiga e na noite de terça-feira (1º) houve uma briga na quitinete onde viviam. A autora deve ser encaminhada para o presidio feminino.

Jornal Midiamax