Polícia

VÍDEO: Nosso repórter entrou no túnel cavado por quadrilha para assaltar Banco do Brasil

O repórter fotográfico Marcos Ermínio, do Jornal Midiamax, teve acesso ao túnel escavado pela quadrilha que tinha a intenção de roubar uma agência do Banco do Brasil no Bairro Monte Castelo, em Campo Grande. O Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros) explicou nesta segunda-feira (23) que monitorou por semanas […]

Evelin Cáceres Publicado em 23/12/2019, às 11h34 - Atualizado em 24/12/2019, às 11h30

Foto: Marcos Ermínio | Midiamax
Foto: Marcos Ermínio | Midiamax - Foto: Marcos Ermínio | Midiamax

O repórter fotográfico Marcos Ermínio, do Jornal Midiamax, teve acesso ao túnel escavado pela quadrilha que tinha a intenção de roubar uma agência do Banco do Brasil no Bairro Monte Castelo, em Campo Grande. O Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros) explicou nesta segunda-feira (23) que monitorou por semanas a ação, mas que só interceptou o grupo quando reuniu provas da tentativa. A quadrilha já haviam conseguido começar a ter acesso ao local.

VÍDEO: Nosso repórter entrou no túnel cavado por quadrilha para assaltar Banco do Brasil
Delegado Sartori, que acompanhou a ação, vistoria sacos de terra retirados do túnel (Marcos Ermínio, Midiamax)

De acordo com informações do delegado João Paulo Sartori, a polícia conseguiu comprovar que os sacos para guardar a terra eram comprados em Terenos e que o grupo foi flagrado comprando um macaco hidráulico em Campo Grande.

Morando no Bairro Zé Pereira, os bandidos se deslocavam até o local para realizar as escavações e, mesmo assim, não levantaram suspeitas dos vizinhos. Eles fecharam a edícula para realizar a escavação e guardavam os sacos de terra já retirados em um salão que ficava na parte da frente do imóvel. A polícia entrou na casa diversas vezes antes de prender o grupo neste final de semana para documentar as evidências da ação.

Acesso ao banco

A quadrilha já estava começando a ter acesso ao banco neste final de semana. Eles conseguiam, por um buraco, já ver a porta da unidade que dá acesso ao cofre. Foi neste momento que a polícia deflagrou a Operação Hórus, durante a madrugada de sábado para domingo.

Os bandidos já tinham até pintado as paredes do imóvel e jogado cal na entrada do túnel para camuflar as digitais deles. Duas pessoas morreram em confronto e outras sete foram presas. Uma delas está internada. As outras seis estão na sede do Garras, em Campo Grande.

Jornal Midiamax