Polícia

VÍDEO: Nando se estapeia durante julgamento dizendo que foi torturado para confessar

Aos prantos durante seu julgamento, nesta sexta-feira (23), em Campo Grande, Luis Alves Martins, o Nando, disse que está ficando doido dentro do presídio, e que não teria matado ninguém. Os crimes que confessou seria depois de ser torturado pela polícia fazendo demonstrações se batendo diante dos jurados e do plenário. Muitos ficaram perplexos com […]

Thatiana Melo Publicado em 23/08/2019, às 09h50 - Atualizado em 13/07/2020, às 10h49

None

Aos prantos durante seu julgamento, nesta sexta-feira (23), em Campo Grande, Luis Alves Martins, o Nando, disse que está ficando doido dentro do presídio, e que não teria matado ninguém. Os crimes que confessou seria depois de ser torturado pela polícia fazendo demonstrações se batendo diante dos jurados e do plenário.

Muitos ficaram perplexos com a atitude de Nando ao se estapear diante dos jurados mostrando como apanhou na delegacia para confessar ter cometido os assassinatos, no Danúbio Azul. Quando teve início o julgamento, Luis Alves disse ser um péssimo dia para ele. A resposta foi dada depois de um ‘Bom dia’ do promotor que adentrou ao plenário.  A mãe de Eduardo que estava acompanhando o julgamento teve de ser retirada depois de passar mal. Ela foi levada para receber atendimento médico.

Nando ainda disse que vai entrar com pedido de indenização por danos morais depois de ficar preso injustamente pelo crime de estupro em 1996. Segundo ele, todas as mortes no Danúbio Azul foram cometidas pelo Vasco, Jeová Ferreira Lima de 57 anos. Ele teria sido incriminado por manter um relacionamento com Vasco, e por saber de tudo.

Quando indagado sobre como sabia das localizações dos corpos disse que o Vasco havia apontado para ele, onde as vítimas estavam enterradas. Em relação ao caso de Eduardo Dias Lima, o ‘Eduardinho’, de 15 anos, Nando contou que conhecia a família dele, mas que nem sabia que o garoto tinha sido morto. Ele negou que tivesse relacionamento com o menino.  ‘Eduardinho’ foi assassinado em 2015 por furtar garrafas de Nando. O adolescente foi morto asfixiado com uma correia de máquina de lavar roupas.

Condenações

Nando já foi condenado a 87 anos de prisão. Dos sete júris já realizados anteriormente, Nando foi condenado pelos homicídios em cinco deles, apenas em um caso, sobre a morte de Ana Claudia Marques, ele foi absolvido do homicídio, sendo condenado apenas pela ocultação de cadáver. O primeiro julgamento aconteceu no dia 29 de junho de 2018, com a condenação do réu a 18 anos e 3 meses de reclusão pela morte da vítima “Café” ou “Neguinho”. O processo está em grau de recurso.

Ainda no ano passado, no dia 23 de novembro, Nando foi julgado e condenado a 18 anos e 4 meses de reclusão e 20 dias-multa pelo assassinato de Lessandro Valdonado de Souza. O processo também está em grau de recurso.

No dia 20 de fevereiro, ele recebeu nova condenação pela morte de Jenifer Luana Lopes. A pena foi fixada em 18 anos e 3 meses de reclusão. Dias antes, no dia 8, ele teve sua primeira e única absolvição até agora, sendo condenado apenas pela ocultação de cadáver de Ana Cláudia Marques. O crime foi atribuído a um de seus comparsas, que ainda não foi submetido a julgamento, pois recorreu. Pela ocultação do cadáver, a pena foi fixada em 2 anos de reclusão e 30 dias-multa.

No dia 10 de abril, ele teve a condenação a 16 anos e 3 meses de reclusão e 15 dias-multa pela morte de Flávio Soares Corrêa.  No dia 26, foi condenado a 14 anos e três meses de prisão pela morte de Bruno Santos Silva. Ainda devem ser agendados os julgamentos pelas mortes das vítimas Alex da Silva dos Santos; Jhenifer Lima da Silva; Aparecida Adriana da Costa; Aline Farias da Silva; “Alemão” e Eduardo Dias Lima.

Jornal Midiamax