Polícia

Superintendente da PF em MS será entrevistado esta 2ª ao vivo no Midiamax

O superintendente regional da PF (Polícia Federal) em Mato Grosso do Sul, Cleo Matusiak Mazzotti, é o entrevistado do Jornal Midiamax desta segunda-feira (30). Com atuação em investigações como a Operação Lama Asfáltica, o delegado iniciou os trabalhos no Estado atuando no combate ao crime organizado. Ele assumiu o comando da instituição em MS em março deste […]

Danúbia Burema Publicado em 29/09/2019, às 20h00 - Atualizado em 30/09/2019, às 08h08

Mazzotti assumiu PF no Mato Grosso do Sul em março deste ano. (Marcos Ermínio, Midiamax)
Mazzotti assumiu PF no Mato Grosso do Sul em março deste ano. (Marcos Ermínio, Midiamax) - Mazzotti assumiu PF no Mato Grosso do Sul em março deste ano. (Marcos Ermínio, Midiamax)

O superintendente regional da PF (Polícia Federal) em Mato Grosso do Sul, Cleo Matusiak Mazzotti, é o entrevistado do Jornal Midiamax desta segunda-feira (30). Com atuação em investigações como a Operação Lama Asfáltica, o delegado iniciou os trabalhos no Estado atuando no combate ao crime organizado.

Ele assumiu o comando da instituição em MS em março deste ano, depois da saída de Luciano Flores de Lima, que colaborou com a Lava Jato e foi designado para a superintendência do órgão em Curitiba. Mazzotti já havia atuado como interino antes da chegada de Flores, em 2018.

Natural de Getúlio Vargas (RS), ele já ocupou em MS os cargos de delegado regional de Investigação e Combate ao Crime Organizado no Estado, divisão responsável por investigações contra diversos políticos e empresários.

Inserido na nova geração de delegados que estão ocupando espaço na PF, Mazzotti atua em MS desde 2015. Antes disso, trabalhou como Delegado-Chefe do Núcleo de Imigração e de Operações, em Foz do Iguaçu (PR), e chefiou unidades da Polícia Federal em Londrina e Curitiba. Também foi Analista de Informações e Agente Operacional da Abin (Agência Brasileira de Inteligência), entre os anos de 1999 e 2005.

Atuou ainda como coordenador e responsável pela execução de diversas operações policiais especiais de grande visibilidade, como a Lama Asfáltica, que investigou e levou políticos tradicionais e empresário à prisão; e Laços de Família, que prendeu policial militar apontado como chefe de quadrilha de narcotraficantes que atuava na região cone-sul do estado.

Atuou ainda como coordenador e responsável pela execução de diversas operações policiais especiais de grande visibilidade, como a Lama Asfáltica, que investigou e levou políticos tradicionais e empresário à prisão; e Laços de Família, que prendeu policial militar apontado como chefe de quadrilha de narcotraficantes que atuava na região cone-sul do estado.

Jornal Midiamax