Polícia

Solta falsa sargento que cobrava até R$ 30 mil por ajuda em concurso

Alzira de Jesus Araújo, 40 anos, ganhou liberdade provisória conforme decisão na última quinta-feira (4) assinada pelo juiz Roberto Ferreira Filho. Alzira é investigada por aplicar golpes em várias pessoas, em Campo Grande, oferecendo facilidades para entrar na carreira militar. Ela se passava por sargento do Exército. No pedido de liberdade, a defesa argumentou que […]

Dayene Paz Publicado em 09/07/2019, às 18h03 - Atualizado em 10/07/2019, às 08h43

Foto: Divulgação.
Foto: Divulgação. - Foto: Divulgação.

Alzira de Jesus Araújo, 40 anos, ganhou liberdade provisória conforme decisão na última quinta-feira (4) assinada pelo juiz Roberto Ferreira Filho. Alzira é investigada por aplicar golpes em várias pessoas, em Campo Grande, oferecendo facilidades para entrar na carreira militar. Ela se passava por sargento do Exército.

No pedido de liberdade, a defesa argumentou que a mulher e ré primária, tem endereço fixo e ocupação lícita. Conforme a decisão da Justiça, a liberdade foi concedida com medidas cautelares, entre elas o uso da tornozeleira eletrônica.

A Justiça também decidiu que Alzira não poderá sair de casa durante a noite, das 20h às 6h, de segunda-feira a sábado, durante 24h domingo e feriados. “Comparecer a todos os atos do processo, quando devidamente intimada, sob pena de eventual restabelecimento de sua prisão”, decidiu o juiz Roberto Ferreira.

Alzira de Jesus foi presa em flagrante pelo crime de estelionato, no dia 26 de junho deste ano.Segundo a Polícia Civil, ela usava o nome de um suposto tenente do Exército, que não existe. Alzira dizia que havia três vagas, mas que para conseguir ingressar na carreira, era preciso o repasse de alguns valores em dinheiro para o pagamento de Guias de Recolhimento da União, que também eram falsas.

Várias denúncias foram feitas contra ela por pessoas que haviam caído no golpe da estelionatária. As vítimas foram localizadas pela polícia e comprovaram a denúncia. Após conseguirem obter dados da estelionatária, como nome e endereço, passaram a monitorá-la e efetuaram a prisão em flagrante.

Ainda não é possível ter o valor total de prejuízo causado por Alzira, com os golpes e nem o número de vítimas, mas conforme o apurado, ela cobrava entre R$ 15 e R$ 30 mil de cada pessoa. Até agora cinco delas foram identificadas e compareceram à delegacia.

Alzira também teria aplicado golpe na sua própria filha. A jovem de 22 anos pagou à mãe R$ 3 mil com a promessa de ingresso no quadro de sargentos do Exército e chegou a ser levada por ela em uma loja de artigos militares para escolher a farda que usaria quando da posse. O que fez também com algumas das vítimas, quando era pressionada a agilizar a chamada para o ingresso ou quando queria mais dinheiro.

Jornal Midiamax