Polícia

Quadrilha presa escavou 63 metros de túnel e não levantou suspeita de vizinhos

Mesmo com diversos sacos de terra e um túnel para chegar até ao caixa forte da Central do Banco do Brasil, localizada no bairro Monte Castelo, em Campo Grande, a quadrilha presa na madrugada deste domingo (22) agiu meticulosamente e não levantou suspeita dos vizinhos. “Tem mais comércio nessa área, então se eles faziam algo […]

Dayene Paz Publicado em 22/12/2019, às 11h31 - Atualizado em 23/12/2019, às 08h29

Grupo foi autuado em flagrante / Foto: Divulgação, Garras
Grupo foi autuado em flagrante / Foto: Divulgação, Garras - Grupo foi autuado em flagrante / Foto: Divulgação, Garras

Mesmo com diversos sacos de terra e um túnel para chegar até ao caixa forte da Central do Banco do Brasil, localizada no bairro Monte Castelo, em Campo Grande, a quadrilha presa na madrugada deste domingo (22) agiu meticulosamente e não levantou suspeita dos vizinhos. “Tem mais comércio nessa área, então se eles faziam algo era em horário que já havíamos fechado, nunca notei algo diferente, nunca levantaram suspeita”, relata um comerciante, que terá a identificação preservada pela reportagem.

O comerciante revela que há movimentação no entorno da Central sempre na chegada de algum carro forte – provavelmente o que já estava sendo monitorado pelos bandidos – “Geralmente, quando chega algum carro forte, a rua é trancada por aqui e tem muitos policiais, nem a gente pode passar”.

A ação durante a operação Hórus, aconteceu nesta madrugada e levou a prisão de seis pessoas – cinco homens e uma mulher – que foram autuadas em flagrante e ocupam celas da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras). Dois homens morreram em confronto com os policiais e há foragidos.

Os tiros foram ouvidos pela região nesta madrugada e muita gente se assustou. “Ouvia muito tiro, mas não sabia de onde estava vindo, então ficamos assustados”, contou um comerciante da região.

Na ação policial, toneladas de terra foram encontradas em sacos e demonstram o trabalho feito há cerca de seis meses pelo grupo. Em um dos cômodos da residência localizada na rua Minas Gerais, quadra ao lado da Central do Banco do Brasil, eles escavavam e usavam um carrinho de mão para levar a terra. Muitas cordas também auxiliavam no trabalho da quadrilha, que escavou 63 metros.

Os policiais localizaram diversos instrumentos que o grupo usava nas escavações. Durante a operação, foram apreendidos uma Toyota Hilux com placa de Pernambuco, um carro de passeio e um caminhão.

Jornal Midiamax