Polícia

Principal fornecedor do PCC e CV, brasileiro ‘comprou’ policiais no Paraguai

O brasileiro Levi Adriani Felicio, preso na manhã desta segunda-feira (14) durante a Operação Norte, deflagrada pela Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) do Paraguai, recebia ajuda de policiais corruptos, apontam as investigações. Ele é tido como principal fornecedor de armas e drogas às facções PCC (Primeiro Comando da Capital) e CV (Comando Vermelho), que atuam na […]

Renan Nucci Publicado em 14/10/2019, às 14h24 - Atualizado em 15/10/2019, às 13h30

Brasileiro preso durante ação na fronteira. Foto: La Nación
Brasileiro preso durante ação na fronteira. Foto: La Nación - Brasileiro preso durante ação na fronteira. Foto: La Nación

O brasileiro Levi Adriani Felicio, preso na manhã desta segunda-feira (14) durante a Operação Norte, deflagrada pela Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) do Paraguai, recebia ajuda de policiais corruptos, apontam as investigações. Ele é tido como principal fornecedor de armas e drogas às facções PCC (Primeiro Comando da Capital) e CV (Comando Vermelho), que atuam na fronteira com o Brasil, especialmente na linha internacional com Mato Grosso do Sul.

De acordo com o jornal La Nación, são fortes os indícios de ligação de Levi com autoridades de segurança. “Temos indícios de que compravam a cumplicidade das autoridades e isso dificulta muito encontrá-los. É normal no tráfico de drogas. Vemos que os agentes de segurança estão corrompidos por dinheiro”, disse Francisco Ayala, diretor de comunicação da Senad.

Além de Levi, que foi preso em Assunção, também foi preso o paraguaio Marcio Gayoso “Candonga”, de 27 anos, localizado em Pedro Juan Caballero, na fronteira com o município sul-mato-grossense de Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande. Marcio é tido como braço direito de Levi na logística com as organizações criminosas. “Realmente ele era quem movia tudo”, afirmou Ayala, informando da importância de Marcio na região.

Operação Norte

A região norte do Paraguai, justamente onde o país se encontra com Mato Grosso do Sul, tem continuamente sido ligada ao controle pelo narcotráfico, sendo comparada à fronteira mexicana com os EUA, que sofreu colapso na segurança pública e teve o controle totalmente assumido pelos criminosos. A operação foi deflagra por volta das 4 horas da madrugada desta segunda-feira (14), quando Levi foi preso em seu apartamento de luxo, no bairro Vila Morra.

Jornal Midiamax