Polícia

Preso em MS, assassino de promotor é transferido para o Pernambuco

Foi transferido para o Pernambuco no início da tarde desta terça-feira (30), José Maria Rosendo, 59 anos, vulgo “Zé Maria de Mané Pedo”, condenado a 50 anos de prisão pelo assassinato do promotor Thiago Faria Soares. O transporte foi realizado sob forte esquema de segurança coordenado pelo Garras (Delegacia Especializada de Repressão Roubos a Bancos, […]

Renan Nucci Publicado em 30/07/2019, às 17h55 - Atualizado às 18h37

Assassino de promotor sendo transportado pelos policiais. Foto: Divulgação
Assassino de promotor sendo transportado pelos policiais. Foto: Divulgação - Assassino de promotor sendo transportado pelos policiais. Foto: Divulgação

Foi transferido para o Pernambuco no início da tarde desta terça-feira (30), José Maria Rosendo, 59 anos, vulgo “Zé Maria de Mané Pedo”, condenado a 50 anos de prisão pelo assassinato do promotor Thiago Faria Soares. O transporte foi realizado sob forte esquema de segurança coordenado pelo Garras (Delegacia Especializada de Repressão Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros).

Zé foi preso na manhã de segunda-feira (29), em Corumbá, a 429 quilômetros de Campo Grande, durante operação conjunta da Polícia Civil, por meio do Departamento de Inteligência Policial e Delegacia Regional de Corumbá, Superintendência de Inteligência da Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública), Departamento de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco e Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate do Crime Organizado), do Ministério Público Estadual.

Ele foi localizado na rua Joaquim Murtinho, no Centro de Corumbá, onde estava escondido. Conforme a Polícia Civil, Zé estava de passagem por Mato Grosso do Sul e o principal objetivo dele era chegar à Bolívia. O criminoso contava com o apoio de Izabel Cristina de Moraes Brasil, 54 anos, que forneceu esconderijo para o homicida. 

Ela foi encaminhada para a 1ª Delegacia de Polícia Civil do município, onde foi autuada por favorecimento pessoal, sendo liberada em seguida, já que não há previsão legal de prisão em flagrante para esse crime. Após a prisão, Zé foi transferido de helicóptero para a Capital, onde permaneceu nas celas do Garras.

Ele havia sido condenado a 50 anos de prisão em 2016, pela 36ª Vara da Justiça Federal em Pernambuco, por ser o mandante da morte do promotor de Justiça Thiago Faria Soares, e tentativas de homicídio da noiva dele, Mysheva Martins e do tio dela, Adautivo Martins, que estavam no mesmo carro no momento do ataque ocorrido em 2013.

Jornal Midiamax