Polícia

Por maioria de votos do júri, réu é absolvido do assassinato de doméstica

Apontado como suposto comparsa de Luiz Alves Martins Filho, o Nando, chefe de grupo de extermínio ligado a pelo menos 15 execuções no Danúbio Azul, em Campo Grande, Jader Alves Correia foi absolvido do assassinato de Ana Cláudia Marques, ocorrida no dia 29 de agosto de 2016. Durante o julgamento realizado nesta segunda-feira, pela 2ª […]

Renan Nucci Publicado em 18/11/2019, às 18h51 - Atualizado em 19/11/2019, às 08h06

(Marcos Ermínio, Midiamax)
(Marcos Ermínio, Midiamax) - (Marcos Ermínio, Midiamax)

Apontado como suposto comparsa de Luiz Alves Martins Filho, o Nando, chefe de grupo de extermínio ligado a pelo menos 15 execuções no Danúbio Azul, em Campo Grande, Jader Alves Correia foi absolvido do assassinato de Ana Cláudia Marques, ocorrida no dia 29 de agosto de 2016.

Durante o julgamento realizado nesta segunda-feira, pela 2ª Vara do Tribunal do Júri, Jader negou que tivesse qualquer envolvimento com o crime e acusou Nando e um comparsa de serem os autores. “Não vou confessar algo que não fiz. Tive tempo para fugir, mas não fui por que não sou culpado”, disse.

Por maioria de votos, o Conselho de Sentença decidiu absolvê-lo. “Posto isso e observando a decisão, declaro a absolvição em relação aos delitos de homicídio e ocultação de cadáver descritos na denúncia. Com o trânsito em julgado da sentença, façam-se às comunicações necessárias, registre-se e arquive-se”, determinou o juiz Eduardo Floriano de Almeida, juiz de Direito presidente do Tribunal do Júri.

Ana Cláudia Marques, de 37 anos, era mãe de 6 filhos e foi assassinada em setembro de 2015 por dívidas de drogas com o grupo. Ela foi localizada no dia 23 de novembro de 2016 e enterrada no último dia 19 de agosto de 2017.

Jornal Midiamax