Polícia

‘Caçador de almas’ e amigos são presos por matar homem com 20 facadas

Força-tarefa entre Polícias Civil e Militar prendeu em Dourados, na madrugada desta quinta-feira (13), 4 homens suspeitos de terem matado Anderson Martins dos Reis dentro de casa, no bairro Cormat, em Itaporã. O assassinato teria sido encomendado de dentro da PED (Penitenciária Estadual de Dourados) e só não foi filmado porque a mãe da vítima […]

Bruna Vasconcelos Publicado em 13/06/2019, às 10h08 - Atualizado às 10h24

Foto: Osvaldo Duarte / Dourados News
Foto: Osvaldo Duarte / Dourados News - Foto: Osvaldo Duarte / Dourados News

Força-tarefa entre Polícias Civil e Militar prendeu em Dourados, na madrugada desta quinta-feira (13), 4 homens suspeitos de terem matado Anderson Martins dos Reis dentro de casa, no bairro Cormat, em Itaporã. O assassinato teria sido encomendado de dentro da PED (Penitenciária Estadual de Dourados) e só não foi filmado porque a mãe da vítima impediu o registro enquanto era afastada pelos autores.

De acordo com o site Dourados News, a morte pode ter ligação com acerto de contas entre facções rivais. Alex Sander Maier, conhecido como ‘Caçador de Almas’, Harisonn Albert Sabino Souza, Kaio Cézar Cardoso Nunes e Miguel Augusto Souza dos Santos foram presos pela Polícia horas depois do crime.

“Caçador de Almas” era foragido da Justiça de Campo Grande por tráfico de drogas. Ainda conforme o portal, as investigações apontaram que cada envolvido ficou com uma função específica.

Kaio, de 19 anos, era o articulador do bando e ficou responsável por observar a rotina da vítima. Ele teria feito a estratégia com os horários e local para execução do crime. O “Caçador de almas” teria sido quem deu os tiros. Harisonn, de 36 anos, foi o motorista que estacionou o Celta na frente da casa da vítima. Por fim, Miguel, conhecido também como XT, foi quem teria dado as 20 facadas.

O delegado responsável pelas investigações, Gabriel Desterro, contou para o Dourados News que a mãe de Anderson presenciou toda a cena e, enquanto era afastada, impedia o registro com celular. O ato de filmar, conforme o investigador, caracteriza julgamento no “Tribunal do Crime”.

Crime

Horas antes, o quarteto chegou de Celta na residência onde a vítima morava com a mãe. Eles desceram armados com faca e um revólver calibre. Os suspeitos ‘descarregaram’ o revólver contra Anderson, que conseguiu fugir para dentro de casa.

Dê tentou se esconder no banheiro e teria dito à mãe que trancasse a casa, mas os autores invadiram o imóvel e deram 20 facadas no rapaz. Os golpes atingiram o braço, peito, tórax e pescoço.

Após o crime, o quarteto fugiu para Dourados.

Jornal Midiamax