Polícia

Dono de mercado que fazia linguiça com carne vencida é preso em Campo Grande

Um empresário de 59 anos foi preso em flagrante na manhã desta quinta-feira (06) por produzir e vender alimentos impróprios ao consumo em seu mercado, localizado na avenida Presidente Vargas, no bairro Santo Amaro em Campo Grande. Policiais da Decon (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo), em fiscalização conjunta com […]

Fernanda Müller Publicado em 06/09/2018, às 13h32 - Atualizado em 07/09/2018, às 07h54

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação - Foto: Divulgação

Um empresário de 59 anos foi preso em flagrante na manhã desta quinta-feira (06) por produzir e vender alimentos impróprios ao consumo em seu mercado, localizado na avenida Presidente Vargas, no bairro Santo Amaro em Campo Grande.

Policiais da Decon (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo), em fiscalização conjunta com o Procon (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor), encontraram diversas irregularidades no estabelecimento.

Além de produtos alimentícios estragados e frutas emboloradas, os investigadores encontraram, nos fundos do mercado, um local onde eram produzidas linguiças com carnes fora do prazo de validade.

Um funcionário do mercado disse à polícia que descongelava as carnes vencidas para preparar as linguiças, e somente se as carnes estivessem ‘ruins’, como cheirando mal ou com aspecto de estragadas, é que ele as encaminhava para o osseiro.

Diante da situação, foram acionadas a perícia da Polícia Civil e a Vigilância Sanitária. Parte dos produtos impróprios ao consumo, como carne em natura, foi apreendida pela Vigilância Sanitária para serem descartados.

Após serem constatadas todas as irregularidades, foi dada voz de prisão ao proprietário do local, que foi encaminhado à Decon.

A pena para quem vende, tem em depósito ou expõe à venda mercadoria em condições impróprias ao consumo é de 2 a 5 anos de prisão ou multa.
Jornal Midiamax