Polícia

Assaltante que matou pedreiro diz que tentou roubar para quitar dívida com PCC

Durante seu depoimento depois de ser preso nesta segunda-feira (7), Alexandre Moreira de Moraes de 23 anos disse que estava planejando praticar um roubo desde a noite de domingo (6) para quitar uma dívida com o PCC (Primeiro Comando da Capital). Alexandre contou que adquiriu a dívida quando estava preso no Presídio de Trânsito ao […]

Thatiana Melo Publicado em 08/05/2018, às 11h50 - Atualizado às 11h51

None

Durante seu depoimento depois de ser preso nesta segunda-feira (7), Alexandre Moreira de Moraes de 23 anos disse que estava planejando praticar um roubo desde a noite de domingo (6) para quitar uma dívida com o PCC (Primeiro Comando da Capital).

Alexandre contou que adquiriu a dívida quando estava preso no Presídio de Trânsito ao comprar maconha dos integrantes da facção criminosa. O valor seria de R$ 150. No dia anterior ao crime, ele havia tentado fazer outros roubos para conseguir o dinheiro.

Ainda segundo o depoimento prestado, o autor contou que ao abordar a garota teria ficado com dó dela e já estava desistindo do assalto quando viu dois homens atravessando a avenida, no caso o pedreiro e o pai dele.

Alexandre contou que o pedreiro teria desferido um tapa no seu ouvido fazendo com que ele caísse no chão, momento em que pegou uma faca que estava na sua cintura se levantou e desferiu os golpes contra Antônio.

Em seguida fugiu abandonando a faca no estacionamento da feira central e foi até a casa de um amigo, que estava dormindo e não viu o momento em que furtou uma bicicleta da residência fugindo até a antiga rodoviária da cidade.

Lá encontrou com uma pastora que possui um abrigo para dependentes químicos contando obre o que havia feito, sem falar na morte do pedreiro. Alexandre foi levado para uma casa, que abriga moradores de rua, no Jardim das Mansões, mas no local foi descoberto a morte de Antônio.

Alexandre foi preso no abrigo e levado para a delegacia. Nesta terça-feira (8), ele passou por audiência de custódia e teve a prisão preventiva decretada.

Jornal Midiamax